quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

PARA NÃO DIZEREM QUE NÃO FALO DAS FLORES


Em outros tempos, já bem remotos, beirando quase duas décadas, usei este mesmo título para falar bem de um amigo... Agora o uso novamente, para elogiar um programa de assistência à saúde existente em nossa cidade. 

Em convênio com o Ministério da Saúde, a Prefeitura Municipal de Itaporanga mantêm uma equipe multidisciplinar, para atendimento em domicílio de pacientes com dificuldade de locomoção ou impossibilitados de se locomoverem até o Posto de Saúde de sua comunidade.

O serviço indicado para pessoas que apresentam dificuldades temporárias ou definitivas de sair do espaço da casa para chegar até uma unidade de saúde, ou ainda para pessoas que estejam em situações nas quais a atenção domiciliar é a mais indicada para o seu tratamento. B

Para isto, basta que alguém da família do paciente (o responsável) comparecer a uma unidade do Programa de Saúde da Família do seu bairro ou a sede do Programa, situada na Rua São José, onde funcionava o Postinho, munido de documentos pessoais do paciente, cartão do SUS e comprovante de residência, fazer o cadastro e usufruir de todos os benefícios que a equipe, que em nossa cidade é composta por:


Coordenadora – Taciana Kelly
Médica: Emanuelle Claudino
Enfermeiras: Thais Cristina
                      Anacleia Barros
Técnicas em Enfermagem: Jubirleide\ Rodrigues
                                            Andreyya Pereira
                                            Caliene Pereira
Fisioterapeuta: Jerry Kácio
Pisicologa: Karmen Gouveia
Nutricionistas: Josefa Marli
                        Milena Pinto
Assistente Social: Williane Lemos


Pasmem, em apenas oito dias, já tinha recebido a visita da Médica, de uma Enfermeira, duas Técnicas em enfermagem, a Assistente Social, a Psicóloga e a Nutricionista, que me fez uma entrevista puxada à “confissão”, usando seus conhecimento e também minhas preferências, conseguiu adequar uma dieta que atendesse a mim e a minha doença. Sete profissionais que cuidaram de mim com muito profissionalismo e amor, o que acelera e muito, a recuperação do paciente.

Já pedindo “vênia” a todos, fica meu carinho especial e meu agradecimento a Enfermeira, Drª. Tahis, conterrânea que é do inesquecível Padre Zé; com quem mais convivi e como sou crítico e observador, adorei  a sua desenvoltura, paciência, profissionalismo e amor com que trata sua espinhosa missão.

De parabéns toda a equipe, inclusive a Secretária de Saúde e ao Chefe do Executivo por manter e dar todo suporte necessário ao brilhante trabalho da equipe, que eu mudaria o nome: Em vez de Melhor em Casa, eu batizaria como título: Ótimo em Casa, porquê é um programa muito “Mais Melhor que Bom”, ele é ata mais que Ótimo!
OS. Em tempo. O programa não abrange somente a Zona Urbana, inclui também os pacientes da Zona Rural.

Para conhecer melhor:

Serviço de Atenção Domiciliar - Melhor em Casa
O Melhor em Casa é um serviço indicado para pessoas que apresentam dificuldades temporárias ou definitivas de sair do espaço da casa para chegar até uma unidade de saúde, ou ainda para pessoas que estejam em situações nas quais a atenção domiciliar é a mais indicada para o seu tratamento. A atenção domiciliar visa a proporcionar ao paciente um cuidado mais próximo da rotina da família, evitando hospitalizações desnecessárias e diminuindo o risco de infecções, além de estar no aconchego do lar.

Nos casos em que o paciente precisa ser visitado semanalmente ou mais, ele poderá ser acompanhado por equipes específicas de Atenção Domiciliar, como as que fazem parte do Programa Melhor em Casa.

O atendimento é realizado por equipes multidisciplinares, formadas prioritariamente por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeuta ou assistente social.

Outros profissionais (fonoaudiólogo, nutricionista, odontólogo, psicólogo, terapeuta ocupacional e farmacêutico) poderão compor as equipes de apoio. Cada equipe poderá atender, em média, 60 pacientes, simultaneamente.

Benefícios do Melhor em Casa

Melhorar e ampliar a assistência no SUS a pacientes com agravos de saúde, que possam receber atendimento humanizado, em casa, e perto da família;
Estudos apontam que o bem estar, carinho e atenção familiar, aliados à adequada assistência em saúde são elementos importantes para a recuperação de doenças;
Pacientes submetidos a cirurgias e que necessitam de recuperação, quando atendidos em casa apresentam redução dos riscos de contaminação e infecção;
Melhor em Casa representa um avanço para a gestão de todo o sistema público de saúde, já que ajudará a desocupar os leitos hospitalares, proporcionando um melhor atendimento e regulação dos serviços de urgência dos hospitais;

Publicado também no facebook.com/portaldovalenet