quarta-feira, 1 de novembro de 2017

PENSE DIA DE FINADOS! Que finados?

finadosBOM DIA!
PENSE DIA DE FINADOS! Que finados?
..................................................................................
Dia de Finados!
Amanhã é dia de finados! Que finados?
Na realidade é uma comemoração celebrada pela Igreja Católica e que o Estado absorveu, alías quase todos os nossos feriados são de origem católica e isso vem de outros tempos, quando a igreja era o “próprio Estado”. A coisa mudou, se aperfeiçoou para melhor, mas os feriados ficaram. Ainda bem.
Mas, eu não gosto muito desse título, pois a palavra tem um significado materialista e faz referência a alguém que finou, ou seja, chegou ao fim, que está morto. Na verdade, mortos somos nós, “vivos” de ilusão , que perambulamos pela vida buscando as quimeras e não percebemos, sequer, um “palmo “ do que é a vida.
Freqüentamos muitas igrejas que, em sua maioria, são cegos conduzindo cegos e quando a morte do corpo chega, e ela está chegando todos os dias, pois estamos na contagem regressiva, é um desespero só.
O minicurso por essas bandas é curto e chega logo pois o tempo é ilusão.
Mas, para uma coisa serve: Pelo menos uma vez por ano os nossos parentes, que não estão, definitivamente, mortos são relembrados. Os cemitérios ficam cheios, muitas religiões realizando as suas manifestações e inclusive a Doutrina Espírita. É momento de espalhar mensagens “dizendo” que ninguém morre e que a morte é passagem para verdadeira vida. É que somos espiritualistas-materialistas. Os materialistas estão sendo produzidos nas igrejas da vida.
Tem gente até que defende que no dia do “juízo” o corpo se levantará do caixão, ressuscitará e viverá eternamente na Terra, feliz. E o pior o espírito fica dormindo até o dia do retorno. Pense num inferno"
Mas esse povo todo voltando á Terra seria um caos. Já imaginou, esse povo to do voltando? O coitado do planeta Terra não caberia tanta gente . Pior seria ver essa cena. Não teríamos nem condições de andar.
Sem falar naqueles que nem mais matéria existe. Seria uma dificuldade para recompor os átomos que os formaram. E aqueles que foram completamente incinerados? Seria um verdadeiro milagre , que não existe, como o pensamos, pois Deus não derroga as suas leias, perfeitas, magnânimas, que não comporta emendas.
E ainda falam até na “ressurreição dos justos” que no mais das vezes são os adeptos de tal ou qual religião. “Maiminino”!
Segundo Leon Denis, um dos pais da Doutrina Espírita, essa data específica de comemorações dos mortos é uma iniciativa druidas, que foram pessoas responsáveis pelos aconselhamentos, pelos ensinos jurídicos e filosóficos na sociedade Celta. Eles acreditavam na continuação da existência, mas com a vinda da Doutrina Espírita, que é Jesus de volta, passamos da condição de crença para certeza. Eu não creio eu sei. Há muitas crenças e poucas certezas.
Minha tia, a última de uma geração e que , por limitações mentais ficou comigo, depois de pedido de sua mãe, Maria Perpétua, antes do seu desencarne, sendo a “minha filha mais velha, com sessenta e dois e anos , sendo a “mais nova”, pela limitação pessoal, convidou-me para ir ao cemitério “arrumar”os túmulos e sempre vou. Virou um ritual para ela.
É um símbolo e gosto dos símbolos eles relembram momentos, experiências, “vidas vividas”. Racionalizar com ela em torno disso é impossível, mas , apesar das suas limitações, amá-la é quase obrigação. Mas, tem isso não. Quem ama, ama. Quem não ama, fingindo amar vive perdido sem roteiros e passa a caminhada sofrendo e fazendo sofrer, enganando, enganado está.
Mas aqui vale relembrar “ O LIVRO DOS ESPÍRITOS” um compêndio de perguntas e respostas das grandes questões da vida , do cão IX – Comemorações dos Mortos – Funerais
  1. Os Espíritos são sensíveis à saudade dos que os amavam na Terra? Muito mais do que podeis julgar. Essa lembrança aumenta-lhes a felicidade, se são felizes, e se são infelizes, serve-lhes de alívio.
  2. O dia de comemoração dos mortos tem alguma coisa de mais solene para os Espíritos? Preparam-se eles para visitar os que vão orar sobre os túmulos?Os Espíritos atendem ao chamado do pensamento, nesse dia como nos outros.
321 – a) Esse é para eles um dia de reunião junto às sepulturas? Reúnem-se em maior número nesse dia, porque maior é o número de pessoas que os chamam. Mas cada um só comparece em atenção aos seus amigos, e não pela multidão dos indiferentes
  1. b) Sob que forma comparecem e como seriam vistos, se pudessem tornar-se visíveis? — Aquela pela qual eram conhecidos em vida.
  2. Os Espíritos esquecidos, cujas tumbas não são visitadas por ninguém, comparecem apesar disso e sentem algum desgosto por não verem nenhum amigo lembrar-se deles? — Que lhes importa a Terra? Somente pelo coração se prendem a ela . Se não mais o amam, nada mais há que faça o Espírito voltará Terra Ele tem todo o Universo pela frente.
  3. A visita ao túmulo proporciona mais satisfação ao Espírito do que uma prece feita em sua intenção? — A visita ao túmulo é uma maneira de se manifestar que se pensa no Espírito ausente: é a exteriorização desse fato. Eu já vos disse que é a prece que santifica o ato de lembrar; pouco importa o lugar, se a lembrança é ditada pelo coração.
  4. Os Espíritos das pessoas homenageadas com estátuas ou monumentos assistem às inaugurações e as vêem com prazer? – Muitos as assistem, quando podem, mas são menos sensíveis às honras que lhes tributam do que às lembranças.
  5. De onde pode vir, para certas pessoas, o desejo de serem enterradas antes num lugar do que noutro? Voltam a ele com mais satisfação, após a morte? E essa importância dada a uma coisa material é sinal de inferioridade do Espírito? – Afeição do Espírito por certos lugares: inferioridade moral O que representa um pedaço de terra mais do que outro, para o Espírito elevado ? Não sabe ele que a sua alma se reunirá aos que ama, mesmo que os seus ossos estejam separados?
325 – a) A reunião dos despojos mortais de todos os membros de uma família deve ser considerada como futilidade? – Não. E um costume piedoso e um testemunho de simpatia pelos entes amados. Se essa reunião pouco representa para os Espíritos, é útil para os homens: suas recordações se concentram melhor.
  1. A alma que volta à vida espiritual é sensível às honras que tributam aos seus despojos mortais? – Quando o Espírito já chegou a um certo grau de perfeição, não tem mais vaidade terrestre e compreende a futilidade de todas as coisas Sabei porem, que freqüentemente há Espíritos que, no primeiro momento da morte gozam de grande satisfação com as honras que lhes tributam, ou se desgostam com o abandono a que lançam o seu envoltório, pois conservam ainda alguns preconceitos deste mundo.
  2. O Espírito assiste ao seu enterro?– Muito freqüentemente o assiste. Mas algumas vezes não percebe o que se passa, se ainda estiver perturbado.
327 – a) Fica lisonjeado com a concorrência ao seu enterro? — Mais ou menos, segundo o sentimento que provoca essa concorrência
  1. O Espírito daquele que acaba de morrer assiste às reuniões de seus herdeiros — Quase sempre. Deus o quer, para sua própria instrução e para castigo dos culpados. É nessa ocasião que vê quanto valiam os protestos que lhe faziam. Todos os sentimentos se tornam patentes, e a decepção que experimenta, vendo a rapacidade dos que dividem o seu espólio, o esclarece quanto aos seus propósitos. Mas a vez deles também chegará.
  2. O respeito instintivo do homem pelos mortos, em todos os tempos e entre todos os povos, é um efeito da intuição da existência futura? —É a sua conseqüência natural. Sem ela, esse respeito não teria sentido
E VIVA O DIA DOS VIVOS!
PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!