quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Ministério Público abre investigação criminal contra prefeito de Piancó. Conheçam acusação


Por Isaias Teixeira/Folha do Vale - O subprocurador-geral de Justiça da Paraíba, Alcides Orlando de Moura Jansen, determinou, no último dia 9, a instauração de uma investigação criminal contra o prefeito de Piancó, Daniel Galdino (PSD), por suposta autorização de gastos com combustíveis mesmo antes de assumir a Prefeitura. A despesa foi no valor de R$ 13,8 mil paga ao posto Comercial de Combustível Marinho, empreendimento de Campina Grande. A determinação do subprocurador tem como base a denúncia feita ao Ministério Público Estadual (MPE) pelos vereadores Antônio Azevedo Xavier (Hermógenes) e Pedro Aureliano

Conforme os parlamentares mirins, os gastos foram feitos a um mês de Daniel tomar posse, fato ocorrido em janeiro deste ano. Ou seja, o gestor começou a gerar despesas para o município mesmo antes de assumir a Prefeitura, o que é uma grave irregularidade, caso seja comprovada. 

Mas ainda há outro mistério que o MPE tentará desvendar: quem consumiu os combustíveis comprados pelo então prefeito eleito, uma vez que a frota da Prefeitura estava ainda sobre o comando de Sales Lima, gestor de Piancó à época? A única certeza que há, no entanto, é que, se fosse a Prefeitura a consumidora dos combustíveis comprados, as despesas, no mínimo, deveriam ter sido autorizadas após a abertura de licitação, o que não aconteceu, segundo a denúncia.

 No despacho, Alcides Orlando cita documentos apresentados pelos denunciantes e vê indícios de crime tipificado por Daniel Galdino, que é filho da ex-prefeita piancoense Flávia Galdino. “Os noticiantes acostam cópias de empenhos, notas fiscais e outros documentos que buscam provar o alegado”, enfatizou o subprocurador.

O procedimento de investigação poderá provocar a abertura de um processo criminal na Justiça contra o prefeito da mais antiga cidade do Vale. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!