quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Há 68 anos chegava a Itaporanga a família Conserva


José Alves conserva Neto, (Zé Conserva), filho de Cesário Alves Conserva e Antônia da Anunciação, nasceu em Monteiro-PB no dia 19 de fevereiro de 1883, quando criança os pais foram morar em Salgueiro, onde residia os seus avós. Zé Conserva cursou apenas o primário, mas dominava muito bem a leitura e a matemática.
Foi agricultor, comerciante e sempre gostou da roça e nos momentos de folga corria para plantar e colher milho, feijão e arroz.
Casou-se a 1º vez em Salgueiro em 1923 e ficou viúvo em 1929. Viúvo decidiu morar na Prata-PB e lá instalou o seu comércio de tecido e conheceu e se apaixonou pela adolescente Maria Nery (D. Branca) com quem se casou no dia 07de outubro de 1932 e tiveram 10 filhos: Ivo, Inácio, José Conserva Filho (Teté), Anita, Cesário (césar), Socorro, Paulo, Bojinha, Mário e Lucinha.
Todos nasceram na Prata com exceção de Lucinha, que nasceu no Recife.
Na Prata comprou um sobrado (foto), onde funcionava no térreo, a loja e no 1º andar a residência, onde nasceram os 9 filhos.
Zé conserva ganhou na rifa um carro Ford, o 1º que surgiu na cidade e sem saber dirigir viajava para as cidades vizinhas, Ouro velho, Sumé e Monteiro para instalar sua banca de tecido. Em 1946 decidiu morar no Recife e lá continuou com o seu comércio na Rua da Regeneração, no Bairro de Água Fria. Zé conserva gostava muito de fazer aventuras e certo dia viajou para conhecer o sertão e viajou até Patos e lá conheceu Zé Cazuza, um caminhoneiro que convenceu a continuar a viagem até Itaporanga e assim Zé Conserva fez, conheceu, gostou da cidade e já alugou uma casa e o ponto da loja e contratou o próprio Zé Cazuza para fazer a sua mudança, se deslocando com a família de Recife a Itaporanga, onde viajaram 3 dias para chegar ao destino, chegando em Itaporanga no dia 22 de novembro de 1949, onde instalou sua residência e sua loja, O Novo Armazém (foto) e teve muito sucesso. Ele gostava tanto da roça que, no quintal da loja fez um plantio de milho, goiaba, manga, banana e abacate. Seus primeiros contatos em Itaporanga foram com o Tenente Augusto e D. Virgínia Gomes, a Avó de Neto Ferreira, que tinha um restaurante vizinho a loja. Cativou muitos amigos e tornou-se compadres das famílias; João Belo, Chagas Soares e José Araújo.
Zé conserva trabalhou e dirigiu sua Rural amarela até os seus 90 anos. Em 17 de dezembro de 1975 recebeu o título de Cidadão Itaporanguense, propositura do Vereador Francisco Bidô (Sr. Bidô). Itaporanga adotou a família Conserva e deu a Zé Conserva, Dona Branca e aos filhos César e Paulo o título de Cidadão Itaporanguense. Zé Conserva faleceu aos 94 anos, no dia 02 de fevereiro de 1987.
A família conserva se orgulha por ter sido adotada por esta Pedra Bonita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!