segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Inep mostra que educação da Paraíba é a pior do Nordeste, e a do Vale entre as piores da PB


Por Redação da Folha – Um levantamento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) mostra que a Paraíba é o pior estado do Nordeste e um dos piores do país em três fundamentos essenciais da educação: leitura, escrita e matemática.
            
Cerca de 71,56% dos estudantes do ensino fundamental têm rendimento insuficiente, em  enquanto que quase 56% são incapazes de produzir um texto adequadamente. A pesquisa do Inep também mostra que 71,32% dos alunos paraibanos apresentaram rendimento insuficiente em matemática.
          
Essa incapacidade dos estudantes paraibano têm relação direta com a incompetência dos governos estadual e municipais da Paraíba na gestão e desenvolvimento da educação escolar. O Governo do Estado ainda controla grande parte das escolas de ensino fundamental, embora o governador Coutinho tenha fechado muitas delas nos últimos anos, agravando ainda mais a situação, porque terminou superlotando os educandários municipais.
            
Já as escolas fundamentais que ainda estão vinculadas à rede estadual enfrentam problemas todo ano com relação à falta de material escolar, fardamento, merenda, transporte e espaço físico insuficiente. Dificuldades semelhantes enfrentam muitos educandos das escolas municipais.
            
Se a Paraíba está entre os piores do Brasil em educação escolar, imaginem as regiões que têm níveis educacionais piores do estado, como é o caso do Vale, onde dezenas de escolas de ensino fundamenta foram fechadas pela gestão estadual, algumas delas em bairros pobres de Itaporanga, e as que ficaram enfrentam graves problemas. A maior parte dos prefeitos regionais também demonstram incompetência ou desinteresse para as questões educacionais: escolas sem estrutura física aquedada para o pleno desenvolvimento dos estudantes, a exemplo de Itaporanga, onde os educandários municipais não têm, sequer, um equipamento para prática esportiva e cultural.
            
Mas, em muitas escolas faltam até o básico, como material escolar e transporte para o alunado rural. Uma realidade que afeta quase toda a região e deixa o Vale com resultados educacionais semelhantes a países asiáticos e africanos em situação de guerra civil. Os números do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e do o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) mostram esta realidade e, com base neles, o Inep realizam seus estudos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!