quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Familiares, Amigos e Colegas Despedem-se do Delegado José Augusto de Carvalho

PENSE QUE O DOUTOR ZÉ NETO PARTIU!
...................................................................................................
Familiares, Amigos e Colegas Despedem-se do Delegado José Augusto de Carvalho 
( Rey AuCa)


Foi sepultado nesse dia dezessete de outubro, pelas 17 horas, o Delegado de Policia Civil de João Pessoa, doutor JOSÉ AUGUSTO DE CARVALHO NETO, no Cemitério Parque das Acácias, localizado no bairro José Américo, na capital do Estado da Paraíba.
“ZÉ NETO ”, como era conhecido por todos, foi o filho do meio do saudoso escrivão de polícia civil de Itaporanga ANTÔNIO AUGUSTO DE CARVALHO e da dona de casa MARIA PERPÉTUA LEITE. Teve três filhos, o médico ANTÔNIO AUGUSTO DE CARVALHO NETO, que atua no sudoeste do país; o jurista ARLIGTON FRANCELINO AUGUSTO DE CARVALHO, analista do Tribunal de Justiça Federal da Paraíba e a sua filha caçula, a enfermeira, ALINE FRANCELINO AUGUSTO DE CARVALHO, que não saiu um só minuto das proximidades do caixão fúnebre.
Estavam presentes, na cerimônia de despedida, amigos mais próximos, colegas, delegados da polícia civil e familiares. Destacando-se as famílias do ex-prefeito de Itaporanga, José Will Rodrigues e a sua linda esposa Marisa, que era madrinha do delegado. Os primos e esposas dos seus tios, CARLOS AUGUSTO DE CARVALHO, JOSÉ AUGUSTO FILHO e CHICO AUGUSTO DE CARVALHO.

Foi uma cerimônia simples, mas emocionante, eminentemente evangélica, com as falas dos pastores CARLOS AUGUSTO DE CARVALHO FILHO, seu primo, que falou bonito, emocionando a todos e do reverendo Leonardo, que faz parte da Igreja Evangélica que o seu filho, ARLIGTON e esposa, ELAINE participam. Quero destacar os emocionados cânticos efetuados, acompanhados ao som do violão por seu filho Arligton Carvalho.
Presente, também, a sua ex-esposa e delegada “TEREZINHA FRANCELINO” que estava emocionada na despedida. Foi uma cerimônia digna do afeto de todos
O seu sobrinho, Reynollds Augusto Cabral, em companhia da sua esposa Williana Mangueira, conduziu a irmã mais nova do delegado, MARIA JOSÉ AUGUSTO LEITE, sendo a última dessa geração.
As gerações se vão, pois nada permanece da dimensão material, que têm o seu próprio ciclo. As galáxias, os sistemas solares, os planetas, vão passando, mas a vida segue, pois, antes de tudo, somos espíritos imortais aprendendo nessa escola, que é o Planeta Terra.
Os imortais disseram ao grande Alan Kardec que se todo o mundo físico de acabasse - e do jeito que vai, o orgulho, egoísmo e ignorância do homem o fará por antecipação – não afetaria em nada o mundo espiritual, que existe, preexiste e sobrevive a tudo.
No momento da despedida cada um vive uma regressão pessoal, na relação ao parente que se foi. No meu caso lembrei-me da sua inteligência, humildade e sentimento profundo, que nutria para com a sua irmã caçula MARIA JOSÉ AUGUSTO LEITE.
Têm também os desafios, as más escolhas, os momentos de dores, suplantados, nesse momento, pelo amor cristão. Erros e acertos fazem parte da vida de cada qual e vamos colhendo o resultado das nossas semeaduras, que, segundo Jesus, é obrigatória. Ficam a experiências e necessidade de reabilitação, que é princípio de vida, pois ninguém morre, desencarna, para seguir a sua vida sem fim.
Ao tio “Zé Neto” os meus votos de que siga em paz. O reencontro é coisa certa, pois somos imortais, e o retorno, ( antes de estar aqui viemos de lá, com esquecimento temporário”) chega logo, pois o tempo é ilusão, como o concebemos. Ele foi à frente, estaremos indo depois, pois aqui ninguém vai ficar.
Vou dar um até logo e que ele possa encontrar a paz, buscá-la com força, pois essa é a meta de todos. Vou terminar essa “escrevinhação” com o espírito Joana de Angelis, que tem muita experiência de vida:


“... Ninguém conseguirá driblar a morte, por mais que o intente. 
Pensa com freqüência e tranqüilidade na tua desencarnação.
Considera que o momento ,por mais distante se te apresente, chegará fatalmente.
Recorda os teus desencarnados com carinho, envolvendo-os em ternura e orações.
Fala-lhes mentalmente a respeito da realidade na qual se encontram e de como se devem comportar, procurando o apoio dos seus guias e a proteção do Senhor da Vida.
Morrendo e retornando lodo depois, Jesus cantou o hino da imortalidade gloriosa que culmina a sua trajetória na Terra de maneira insuportável”.

Segue em paz Tio Zé Neto e “inté” mais. Aqui ninguém vai ficar.


PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!