terça-feira, 10 de outubro de 2017

Danúbia Rangel, a mulher por trás da guerra na favela da Rocinha


Casada com o traficante Antônio Bonfim Lopes, o Nem, ela é foragida da Justiça e assídua frequentadora de redes sociais 

Veja - Vista pela ótica fria dos fatos, que não leva em conta o drama das escolas fechadas, das ruas interrompidas e dos moradores aterrorizados, a guerra de bandidos que nos últimos dias invadiu a favela da Rocinha, a maior do Rio de Janeiro, teve um estopim com cores de novela: a loira oxigenada Danúbia de Souza Rangel, 33 anos, foragida da polícia e assídua frequentadora de redes sociais, é mulher do traficante Antônio Bonfim Lopes, o Nem, que está preso há seis anos, mas continua dando as ordens.

Foi uma desfeita a ela, por um ex-braço direito e hoje desafeto de Nem, que desencadeou a fuzilaria e escancarou novamente a fragilidade da segurança pública do Rio.

Mesmo foragida, a loira tem dezenas de perfis em redes sociais atribuídos a ela, onde ostenta uma vida de luxo registrada em muitas selfies. Conheceu o marido em 2006, teve uma filha e levou vida de rainha.

"Dona do Bairro", como também é conhecida desde a época de Nem, vem batendo de frente com Rogério 157 por não concordar com o jeito que o traficante – que chegou a ser
guarda-costas de Danúbia Rangel quando Nem era o chefe do crime – vem comandando o morro. 


Segunda a inteligência da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Danúbia foi expulsa da Rocinha por Rogério 157.

Foragida desde o ano passado, a "Xerifa da Rocinha", outro apelido da loira, foi condenada a 28 anos de prisão por tráfico de drogas, associação para o tráfico e corrupção ativa.
Musa nas redes sociais

A história controversa de Danúbia conquistou fãs por todo o Brasil, sobretudo nas comunidades no Rio de Janeiro. Nas redes sociais, uma série de perfis são dedicados à moça e a grande maioria dos comentários são elogios à sua beleza e ao seu estilo de vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!