domingo, 10 de setembro de 2017

Pegada de 5,7 milhões de anos põe em xeque local da origem humana

No momento em que a pegada foi feita, o deserto do Saara não existia e os ambientes exuberantes de tipo savana passaram do norte da África para o Mediterrâneo

Pegada de 5,7 milhões de anos põe em xeque local da origem humana

Pegadas descobertas na ilha de Creta, na Grécia, datadas de 5,7 milhões de anos, sugerem que os seres humanos podem ter tido origem em outros continentes que não só a África, incluindo até a Europa.

De acordo com a publicação do O Globo, as antigas pegadas descobertas por Gerard Gierliński, do Instituto Polonês de Pesquisa em Varsóvia, estão a mais de 2,5 mil quilômetros de distância de Chade, na pequena ilha de Trachilos, perto de Creta. Gierliński juntou-se com colegas para analisar as descobertas.

A equipe descobriu que eles poderiam reconhecer dois conjuntos distintos de pegadas, ambos aparentemente deixados por um animal que andou com duas pernas. O estudo analisou as características da pegada, em particular examinando seus dedos. Ele descobriu que a pegada não tinha garras, andava com dois pés e tinha dedos internos que saíam além dos exteriores.


No momento em que a pegada foi feita, o deserto do Saara não existia e os ambientes
exuberantes de tipo savana passaram do norte da África para o Mediterrâneo oriental e Creta ainda não se separou do continente grego. Tudo isso torna mais fácil ver como esses primeiros hominins se dirigiram para a ilha.

Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!