domingo, 10 de setembro de 2017

O candidato é João Azevedo mas Ricardo tem um plano B – Por Eugênio Falcão

Ricardo já sentiu o gosto da derrota por duas vezes quando lançou suas pratas da casa, ESTELA em 2012 e CIDA em 2016.


Na condição de analista político, venho “cantando essa pedra” em várias entrevistas nas rádios e TVs da Paraíba. Desde 2016, venho ratificando que não acreditava e ainda não acredito na união da oposição composta pelos partidos PMDB, PSD e PSDB, formando a conjuntura para 2018. É o mesmo que comparar três gordos, cada um com um peso de 300 kg, dentro de um elevador onde comporta apenas 600 kg. Alguém vai ter que sair.

A mesma coisa acontece na política da Paraíba. Tem que ser muito ingênuo para acreditar que o governador RICARDO COUTINHO lançará sozinho JOÃO AZEVEDO, para uma disputa pesada onde se encontra CARTAXO, MARANHÃO e CÁSSIO no mesmo palanque.
Não tenho dúvidas que o secretário JOÃO AZEVEDO, servirá de isca, para atrair os holofotes da imprensa e da oposição, enquanto por baixo dos panos, o senador JOSÉ MARANHÃO estaria aquecendo para entrar em campo no momento oportuno, chamado convenção e na condição de candidato do governo. Para isso RICARDO COUTINHO já tem como aliados do seu governo os seguintes peemedebista: VENEZIANO, HUGO MOTA, ANDRÉ AMARAL, NABOR WANDERLEY e o senador RAIMUNDO LIRA.

Podemos dizer 80% do PMDB da Paraiba em apoio ao seu governo. Contabilizamos como 20%, o senador JOSÉ MARANHÃO e o vice- prefeito da capital MANOEL JR. Ambos
continuam como aliados da oposição.

Na minha opinião, a chapa seria composta por JOSÉ MARANHÃO, com JOÃO AZEVEDO na vaga de vice, inclusive quebrando o velho protocolo das antigas eleições, onde a chapa era sempre formada por candidatos de JOÃO PESSOA e CAMPINA GRANDE.

Considerando um segundo cenário, já que o GOVERNADOR ratificou em várias entrevistas que não iria disputar uma vaga para o senado, JOÃO AZEVEDO seria lançado para está vaga na condição de candidato majoritário do PSB, deixando a vaga de vice para uma indicação de CAMPINA GRANDE.

O secretário além de um bom nome para compor a chapa majoritária de 2018, seria um excelente nome para o possível quadro de secretariado do novo governo. Quem não queria a competência de JOÃO AZEVEDO como um auxiliar?
Ricardo já sentiu o gosto da derrota por duas vezes quando lançou suas pratas da casa, ESTELA em 2012 e CIDA em 2016. Ambas fazem parte do elenco de “jogadores” formados na base do PSB.

A estratégia do governador pode não ser é a mesma do BARCELONA e muito menos do REAL MADRID, mas está trabalhando pesado para “contratar um jogador de peso para o seu time”, um jogador que já governou o estado por 3 vezes, e com isso enfraquecer a conjuntura do time rival.

Essa é a única forma que o governador tem para deixar o governo com uma possível vitória, vitória essa que ele deseja para dar o troco ao senador CÁSSIO CUNHA LIMA, por ser o maior responsável pela atual união da oposição na Paraíba; que nas eleições 2016, “fez barba, cabelo e bigode”.

Fonte Eugênio Falcão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!