sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Chefe da Defesa Agropecuária denuncia venda de carne clandestina no Vale do Piancó


O Chefe da Defesa Agropecuária no Vale do Piancó, Antonio Farias, em entrevista esta semana ao radialista Flávio José, se disse preocupado com a situação da carne que chega até a mesa do consumidor no Sertão da Paraíba.

De acordo com Farias, com o fechamento de matadouros na região por supostas irregularidades, os animais passaram a ser abatidos no "mato", o que pode provocar doenças na população.

"De qualquer forma é trazer para a mesa do consumidor bactérias, doenças que são transmitidas dos animais para os seres humanos, e isso é um fator de alto risco para todos nós", alertou ele.

O Chefe da Defesa citou as cidades de Itaporanga, Piancó, São José de Caiana, Nova Olinda e Santana dos Garrotes, que segundo ele estão com seus matadouros fechados.

"Todos esses animais abatidos nesses municípios estão sendo abatidos sem ninguém saber de onde estão vindo, da higienização. Estão aí clandestinamente", denunciou Farias.
Riscos

Em uma entrevista à imprensa durante a Operação Carne Fraca da Polícia Federal, o professor da Universidade Federal do Ceará, Rafael Zambelli, (UFC), alertou sobre os
riscos que o alimento pode causar a saúde com a falta de cuidado na manipulação, armazenamento e transporte da carne, podendo resultar em doenças bastante incômodas.

"Comer carne estragada pode causar dor de cabeça, vômitos, diarreia, febre e até mesmo levar à morte. Duas causas dos sintomas provêm de uma intoxicação alimentar, causada pelas toxinas produzidas pelos micro-organismos presentes na carne e a infecção bacteriana, causada quando a bactéria entra no organismo da pessoa", explicou o professor.

O outro lado
A redação do Diário do Sertão tentou ouvir os municípios citados pelo entrevistado, porém, sem êxito.

Flávio José

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!