terça-feira, 15 de agosto de 2017

Queixa contra um vereador em Itaporanga leva delegado a investigar todos os onze


Por Redação da Folha – Duas ex-funcionárias da Câmara Municipal de Itaporanga registraram Boletim de Ocorrência na delegacia no último dia 8, denunciando que, durante o período que passaram empregadas no legislativo, entre janeiro e junho deste ano, eram obrigadas a entregar a maior parte do salário ao vereador conhecido como Hélio do Bar.
            
Antes de procurar a polícia, uma delas chegou a denunciar o caso publicamente em uma emissora de rádio local, por que teria ficado revoltada com a demissão, atribuída por ela ao fato de ter pedido ao vereador para ficar com o salário integralmente, já prestava serviço na Câmara e não achava justo ficar apenas com uma pequena parte do salário mínimo, somente 300 reais.
            
No entanto, conforme o delegado Glêberson Fernandes, dias depois, as denunciantes procuraram a delegacia para tentar retirar a queixa, alegando que não falaram a verdade e que teriam sido induzidas por alguém da oposição a fazer a denúncia, mas o delegado está determinado a esclarecer os fatos e vai ampliar a investigação aos demais parlamentares mirins.
            
Conforme dr. Glêberson, há indícios de que esse tipo de prática, ou seja, servidores serem obrigados a dividir salários com vereadores ou com outras pessoas a mando de parlamentares mirins é comum no legislativo municipal. Em razão disso, o delegado abriu uma VPI (Verificação Preliminar de Investigação) e já encaminhou ofício ao presidente da Câmara pedindo a relação de todos os funcionários ligados politicamente ou não a cada um dos onze vereadores.  O delegado poderá ouvir servidores e parlamentares, além de realizar outras diligências na tentativa de esclarecer o que está ocorrendo dentro da Câmara de Itaporanga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!