quarta-feira, 9 de agosto de 2017

E O Semeador Saiu a Semear a Paz

E O Semeador Saiu a Semear e Paz
(Reynollds Augusto)

Meus amigos digo-lhes, sem errar, que o ERESP – Encontro Regional Espírita do Sertão das Paraíba- desse ano,  está “bombando”. É que todos estão com saudades de Jesus.

Quem esteve conosco, em Itaporanga e viajou hoje,  para João Pessoa, foi o homem da paz nas nossas terras, o  empresário ALMIR LAUREANDO, que percorre  essa Paraíba todinha para semear a cultura da paz nas escolas, nas cabeças, na sociedade. Uma missão difícil,  por conta do nosso psiquismo, no geral, doentio, mas essencial para permitir o equilíbrio social.

 “Paladino da Cultura da Paz”. Foi com essa expressão que a professora Neide Mielli, o saudou quando foi homenageado pela Universidade Federal da Paraíba  ao receber o Título  Dr. Honoris causa. E o Eresp o indicou para que ele visse a Itaporanga semear a paz. E o fez dom maestria, na Escola Municipal Semeão  Leal, nas lojas maçônicas, reduto de amor, ação e sabedoria e ontem, com chave de ouro, esteve no Colégio Dom João   Da Mata, o  templo do nosso inesquecível Padre Zé, o idealizador e executor do nosso símbolo, o Cristo Rei, a velar por Itaporanga, com seus braços abertos, lá da Serra do Cantinho, terra  de cantores, instrumentistas, de  felicidade, do saudoso DEDÉ DO CANTINHO,  onde está a raiz  da nossa linda, competente e consciente LUCY ALVES, sua bisneta, que conquistou o Brasil com seu talento.

Ontem, no Ginásio, foi uma tarde especial,  em que Almir conversou com o corpo docente e dicente daquele educandário, que é um “templo do saber”. F oi, de lá  que saíram, também, o poeta MERLANIO MAIA, o internacional Radengundes  Feitosa, que viajou o  mundo a levar a bandeira da nossa terra a outros países e muitos outros filhos excelentes que me fogem á memória.

É preciso criar no mundo a cultura da paz. Paz nos gestos, no falar, no sentir, no viver. Como disse Jesus, “ no mundo tereis aflições,  mas eu venci o mundo”. É preciso vencer-se a si mesmo, resignificando a vida e acabando com a guerra interna, que instiga a depressão, o desequilíbrio.

Segundo a veneranda Joana de Angelis, um excelente espírito, que , milenar, estagiou, em muitas vezes, no seio da nossa querida Igreja Católica, “ a paz é conquista interior, é iluminação interna  é a presença divina  no indivíduo.

Quem não deseja a paz? Se não, está doente, precisando se tratar.

Paz na família, paz no trabalho, paz na sociedade, pois só assim produziremos com mais eficiência onde estivermos. Não há dúvidas que moramos em um planeta psiquicamente atrasado que sofre com seus “inquilinos”. Se pensarmos bem, o que acontece lá fora, na sociedade, nada mais é do que o reflexo do que ocorre em nossos lares. Falta aquela  educação que forma o homem de bem e não apenas pessoas instruídas. Nada de só ensinar matemática, português, física... medicina, engenharia, direito. Tudo isso são instrumentos.  É  preciso não apenas instruir mas, essencialmente , educar e  tudo começa pela paz interior.

Antes eu defendia que a educação deveria partir  só da família, com a percepção nova,  mudei de idéia e hoje defendo, também, que ela deve vir do Estado, a  maior família,uma pareceria,  feita de coletividades, de diferenças, mas que pode, sem dúvida, conviver em paz,  para uma vida social feliz.

Isso não é utópico, é realizável, sendo preciso apenas começar.

Agradecemos ao Almir Laureano e reclamamos outras visitas. Esse “cabra” sabe das coisas.

E VIVA O ERESP/2017

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!