quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Do pitoresco ao temerário: as frases dos presidentes das Câmaras de Itaporanga e Piancó


Por Redação da Folha – As Câmaras Municipais de Itaporanga e Piancó realizam suas sessões uma vez por semana, na noite de cada quinta-feira, e um festival de insultos entre os contrários e de frases estranhas e hilárias desfila durante as reuniões.
            
Na noite da última quinta-feira, 10, por exemplo, ao ser questionado sobre gastos com empresas de comunicação, entre as quais uma de fora e que não estaria prestando o devido serviço ao legislativo, o presidente da Câmara Municipal de Itaporanga, conhecido como Neném de Adailton, disse publicamente: “eu não trabalho com adversário”, argumentando que essa é a realidade da política e que ele precisa seguir, ou seja, quem não for aliado não tem oportunidade em sua gestão. Talvez seja por isso mesmo que os contratos questionados tenham ocorrido sem licitação.
            
A frase do presidente da Câmara de Itaporanga contraria a Constituição Federal, que estabelece como um dos princípios da gestão pública a impessoalidade, ou seja, o gestor legislativo ou do executivo precisa cumprir a lei e não os seus interesses políticos e pessoais na condução administrativa de qualquer poder público.
            
Já na Câmara de Piancó, durante sessão também na noite da quinta-feira, duas entre as muitas frases hilárias do presidente Hermógenes Xavier motivaram boas gargalhadas na
plateia.
          
Em uma delas, o presidente Hermógenes referindo-se à ex-prefeita Flávia Galdino, que não foi encontrada em nenhum endereço ou lugar na cidade para receber a notificação para apresentar defesa no julgamento de suas contas administrativas pela Câmara, o vereador-presidente disse que “Flávia esta mais escondida do que Bin Laden”, aludindo ao terrorista que, durante anos, fugiu da perseguição dos Estados Unidos, mas terminou encontrado e morto.
             
No caso da ex-prefeita, a morte foi política, porque três prestações de contas dela foram reprovadas pelo legislativo durante a sessão, o que a deixou inelegível pelas próximas décadas. Os vereadores aliados de Flávia questionaram a legalidade da votação, argumentando que ela não teve direito à defesa, mas foi aí onde o presidente saiu com mais uma frase bem-humorada, depois de aconselhar, ironicamente, os insatisfeitos a procurar a Justiça: “Minha assessoria jurídica é como a seleção de 70: não perde uma”.
            
Não muito tempo atrás, o mesmo Hermógenes foi destaque em uma matéria nacional da TV Globo sobre a compra de um bafômetro pela gestão anterior da Câmara para supostamente evitar a presença de vereadores embriagados durante a sessão: questionado pelo repórter, ele admitiu que costumava beber umas doses, mas por recomendação do seu cardiologista, o que certamente provocou muitos risos pelo país afora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!