sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Advogado denuncia omissão da OAB e culpa de Coutinho no possível fechamento da Justiça de Coremas

Por Redação da Folha – O advogado e vereador Laedson Andrade é uma das poucas vozes e punhos que há muito tempo se levantam contra a grave ameaça que sofre a Justiça de Coremas. A comarca coremense poderá ser uma das fechadas no estado pelo Tribunal de Justiça da Paraíba, que alega a contenção de gastos do judiciário como um dos fatores preponderantes para a extinção de algumas unidades judiciárias.
               
A falta de recursos financeiros no judiciário paraibano é em razão do não repasse integral, conforme o que determina a lei, do duodécimo ao Tribunal de Justiça pelo Governo do Estado. Com a queda na receita, o TJ alega dificuldades para manter toda a atual estrutural judiciária.
                
O vereador, no entanto, não concorda com o fechamento da comarca de Coremas por todo prejuízo que causaria à população local e também aos seus colegas advogados, criticando a omissão da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), seccional da Paraíba, que, conforme ele, não tem se mobilizado contra essa decisão do Tribunal de Justiça. “É muito triste ver toda essa situação colocada em prática: fala-se em extinguir comarcas como se fossem apenas dados estatísticos, deixando de lado todo um contexto de representação social existente com a presença do Poder Judiciário em uma cidade”, comentou o parlamentar mirim.
                
Laedson Andrade apela ao governador Ricardo Coutinho, que, “inclusive, é filho de Coremas, por concessão de cidadania”, para que o plano de fechamento da Justiça local não se concretize, e também pede empenho à Assembleia Legislativa do Estado contra a decisão do TJ. Foto: Justiça de Coremas existe há 63 anos e nasceu com o próprio município, sendo um dos principais símbolos e elementos institucionais da emancipação coremense. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!