quinta-feira, 13 de julho de 2017

Reforma Trabalhista é aprovada no senado após confusão entre senadores paraibanos


A Reforma Trabalhista, um dos principais projetos do governo do presidente, Michel Temer(PMDB), foi aprovado na noite desta terça-feira(11) com uma ampla vantagem de 50 votos favoráveis versus 26 votos contrários. A sessão na qual a reforma foi aprovada foi marcada por confusão entre os políticos de governo e de oposição no senado.

A sessão foi marcada por protestos dos senadores de oposição ao governo aos quais o vice-presidente do senado, Cássio Cunha Lima(PSDB) respondeu afirmando que a sessão prosseguiria e que a reforma seria votada hoje: “Isso não é protesto. Isso é avacalhação. Será votado hoje, de uma forma ou de outra será votado”.

A sessão chegou a ficar suspensa por mais de cinco horas por causa dos protestos dos senadores de oposição. Enquanto a sessão estava suspensa alguns senadores da base governista, dentre eles o senador Cássio Cunha Lima recolhiam assinaturas para que o local de votação fosse modificado. Durante o calor das discussões em torno da suspensão os senadores paraibanos Lindbergh Farias e Cássio Cunha Lima chegaram a se desentender tendo de ser contidos por companheiros no plenário.

Por volta das 18 horas o presidente da casa, Eunício Maia(PMDB) anunciou que retomaria os trabalhos da casa e ordenou que os senadores que ocupavam as cadeiras da mesa
diretora deveriam se retirar de lá em no máximo dez minutos. Mesmo com a mesa diretora ainda ocupada a sessão foi reaberta e Eunício recomeçou os trabalhos abrindo a votação da Reforma. Durante a confusão o presidente do senado afirmou: “Deus me deu essa qualidade da paciência. Não tenho pressa para encerrar essa votação”.

“A maioria aqui é empresário ou da aristocracia do serviço público. Quantos aqui passaram fome? Quantos sacolejaram 40, 50 minutos para ir trabalhar?”, afirmou a senadora Gleisi Hoffmann após o inicio da votação.

A votação foi encerradas após as 19 horas com um placar favorável a aprovação de 50 votos contra 26 votos contrários. Dentre os 50 votos que aprovaram o texto da reforma na sua integralidade contaram os votos dos três senadores paraibanos e membros da base governista, o tucano Cássio Cunha Lima e os correlegionários Raimundo Lira e José Maranhão(PMDB). O voto dos três senadores não foi uma surpresa uma vez que os três ocupam cargos de grande importância dentro do governo de Michel Temer, sendo respectivamente vice-presidente do senado, líder do PMDB no senado e presidente do PMDB na Paraíba.

Polêmica Paraíba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!