segunda-feira, 10 de julho de 2017

O Evangelho No Lar

BOM DIA!
O PENSE NISSO DO DIA.
…………………………………………………………………..
O EVANGELHO NO LAR 
(Reynollds Augusto)
Sabe, leitor, a família está feliz.
É que quando, ontem, estava sentado na calçada no Colégio Padre Diniz, para ver o sol se despedindo, de mais uma etapa da vida e, também, ver o meu povo retornando para casa, feliz, depois da labuta, chega a minha linda prima, LETÍCIA CARVALHO.
Ela é filha de um dos melhores violonistas e professor do IFPB, Cristóvão Augusto, o meu grande primo “PIPA”.
– Eita “Lelêca”, pensava que tinha nos abandonado?
Leíticia sempre nos visita e isso sempre é motivo de alegria. Tem a idade das minhas garotas e até, brinco com ela, dizendo que o “computador do céu” se enganou e mandou-lhe para a casa errada. Era para ter nascido minha filha.
Brincadeira, “Pipa”!
Mas além de ser linda é uma garota sensível e namora um cara do bem: O “ZACA”, sobrinho do nosso eterno RADEGUNDES FEITOSA, que levou a bandeira de Itaporanga ao mundo.
Foi excelente uma entrevista que ele e a “sua turma” concedeu ao JÔ SOARES, arrancando aplausos e expectação do entrevistador que estava visivelmente emocionado, com os trombones, que pareciam mais uma orquestra sinfônica. Era o “Brazilian Trombone Ensemble”. Espie leitor. Você vai chorar de rir
Mas, ontem, domingo, foi o dia do nosso evangelho e eu a convidei para estar presente. Garota inteligente. É de raça .
O evangelho aqui em casa é um momento família, de terapia de grupo. Todos se reúnem em torno de um tema escolhido, geralmente um tema evangélico, principiológico, para que possamos entender a vida. É uma espécie de lei constitucional, que tem supremacia e ninguém pode se esquivar ou criar desculpas para não estar.
Discutimos,ontem, aquele tesouro que se encontra em Mateus, que saiu da boca de Jesus:
“ Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e roubam. Mas ajuntai tesouros no Céu, onde nem a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões não arrombam nem roubam”.
Entendeu leitor?
Para qualificar a discussão usamos um texto do grande escritor Richard Simonetti, chamado “ Sem Choques”. E aprendemos que vivemos em um estado espiritual que é difícil viver sem os choques da vida.
Diz ele que existe uma dupla dinâmica que acaba conosco: O acomodamento e o amornamento.
São espécies de cupim a corroer as iniciativas, os movimentos, as buscas. Instalam-se em todos os setores sociais. Até na Doutrina Espírita, que é uma força que faz crescer interiormente.
Vemos muitos amigos nossos, com potenciais, que começam estimulados pela grandeza do Consolador Prometido, mas logo páram no meio do caminho. Sem falar no nosso desestímulo para lutar pelos objetivos pessoais.
Segundo Richard diz que pior que o acomodamento é o “amornamento”.
O “cabra” não está nem ai para os movimentos sociais, sejam políticos, familiar, educacional… Vira uma espécie de “ponto morto” da vida. Não participa não se compromete nada faz. Transforma-se, apenas, em um observador contumaz.
Eita”! Rimou
Mas a vida é sábia, como sábia é a sua causa. O “cabra” quando está nessa situação, vem um choque, natural, para que ele recomece: A Morte do corpo físico. Ela nos faz mudar a visão existencial e somos convidados á mudança e passamos a deixar de “ser coitadinhos”.
É uma forma de acabar com a nossa adaptação aos nossos estados. Quando o corpo morre e somos desencarnados, ao mundo dos espíritos, nossa verdadeira casa, também, tendemos a nos acomodar, do lado de lá. Aí vem outro choque. A reencanação.
“ Ninguém poderá ver o reino dos céus se não nascer de novo”, disse Jesus.
Ressuscitamos,reencarnando, ressurgindo, em outro corpo, para renascer para vida, em busca de valores, ate a depuração total, que as religiões tradicionais “apelidam” de “salvação”, sendo nada mais é do que conquista da alma, desenvolvendo razão e o sentimento até à plenitude.
O bom mesmo é viver com duas outras eficientes duplas dinâmicas, do bem: O AMOR E A INSTRUÇÃO.
Seja bem vinda Lelêca !
PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!