terça-feira, 18 de julho de 2017

Nego Riba Arribou


Há exatamente um ano, em 18 de julho de 2016, morria Nego Riba. O instrumentista e compositor José Ribamar Fernandes, conhecido popularmente como Nego Riba, de 58 anos, no Hospital Distrital de Itaporanga, o mesmo deu entrada as 6 horas e veio a óbito as 7 horas. A causa da morte segundo a equipe médica foi infarto.
Riba residia em uma rua do bairro Bela Vista e há anos enfrentava problemas de saúde, inclusive havia se  submetido a uma cirurgia, mas, aparentemente, estava bem. No entanto, sentiu-se mal na manhã dessa segunda-feira, foi hospitalizado, mas terminou não resistindo.

Kleidiane  uma de suas filha muito emocionada e sem acreditar no que estava vivendo disse que antes de partir ele disse “Se cuida minha filha,  Se cuida minha filha” disse chorando.

Natural de Pombal, Riba chegou a Itaporanga na década de 80, trazido pelas mãos do então empresário musical José Rodrigues, e, durante muito tempo, foi baixista da banda Explosão Musical JR. Depois, tocou no grupo Raiz do Pagode em parceria com mais três músicos da cidade, como lembra um dos seus grandes amigos, o cantor Verinho, um dos fundadores e integrantes do grupo.

Grande músico e compositor, o mesmo já tocou em várias bandas como Cheiro do Mato, Forró de Lamparina. O mesmo compôs uma das músicas mais tocadas no Vale do Piancó por título “As Grades”, gravadas pelo seresteiro Edmilsinho. Nego Riba também foi baixista da banda Forró Molhado e integrou diversos outros grupos musicais ao longo de sua carreira, tocando serestas, festas e eventos públicos. Era uma figura conhecida pelo bom humor, mesmo nos momentos mais difíceis de sua vida. “As grades que me separam de você” é uma de suas músicas mais conhecidas na cidade por ser uma das mais tocadas nas serestas e bares, especialmente na voz do cantor Edimilsinho Pinto.

             Segundo amigos, compôs essa música durante o período em que ficou custodiado na unidade prisional da cidade, uma prisão que ele sempre considerou injusta, mas cumpriu sua sentença e voltou ao convívio familiar e social, onde era querido  e admirado. Nas campanhas eleitorais, era bastante requisitado para fazer música de apologia a candidatos. Na eleição de Antônio Porcino à Prefeitura, as músicas feitas por Riba caíram no gosto do eleitor e ajudaram a embalar a campanha vitoriosa de Porcino, também de saudosa memória.

Ribamar era casado com Maria Lourivania Custódio com quem teve três filhos e também deixa mais quatro de outros casamentos, familiares e amigos sentem muito pela perca do grande Riba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!