sexta-feira, 28 de julho de 2017

Juiz determina soltura de coremense preso por engano. Ele deixou a cadeia nesta terça


Por Redação da Folha - Durante audiência de custódia na manhã desta terça-feira, 25, o juiz de Coremas, José Manoel, determinou a soltura do agricultor Damião Pereira da Silva, de 31 anos, que estava preso desde a madrugada do último domingo, 23, quando foi preso em sua casa, na zona rural de Coremas, acusado, injustamente, de matar o sargento J. Gomes, de 45 anos, executado a tiros durante uma festa no sítio Sangradouro, município coremense, e sepultado nessa segunda-feira em Diamante, de onde era natural.
            
Horas depois dele ser autuado em flagrante, com base no depoimento de uma mulher que estava na companhia da vítima, o delegado José Pereira descobriu que o autor do crime era outra pessoa, também chamada Damião, mas de sobrenome Guedes de Oliveira, que está foragida. O crime teria motivação passional. Acusado e vítima tinham uma rixa antiga e discutiram durante a festa, conforme o que apurou o delegado plantonista.
            
Mas agora quem vai assumir o inquérito é o delegado titular de Coremas, Clenaldo Queiroz. Ele confirmou à Folha a soltura de Damião Pereira, que estava recolhido à cadeia de Piancó, por questão de segurança. O rapaz foi levado à presença do juiz até o fórum de Coremas e, de lá, depois da liberação do alvará de soltura, foi para sua casa, mas poderia ter ficado ainda um bom tempo na cadeia se o verdadeiro assassino não tivesse deixado uma pista importante: Damião Guedes abandonou sua moto enquanto fugia, e foi a partir do encontro do veículo que a Polícia Civil chegou à sua identificação como autor do homicídio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!