segunda-feira, 31 de julho de 2017

Desenganada pela medicina, mulher resiste a câncer tratando à base de plantas, em Ibiara


Comente no final da matéria - A dona de casa, Raimunda Francisca dos Santos, 64 anos, que reside no sítio Piranhas, zona rural de Ibiara, disse à reportagem da VPNTV que resistiu a um câncer no fígado e um derrame pleural à direita, depois de ser desenganada pela medicina. Segundo ela, todo tratamento foi feito à base de plantas, cultivadas na sua própria horta, que fica no sítio Piranhas, localizado na zona rural de Ibiara. “Quininha”, como é mais conhecida, é casada com o agricultor rural, João Justino dos Santos, com quem tem cinco filhos.

De acordo com mulher, os primeiros exames foram feitos na cidade de João pessoa. Posteriormente, ela foi encaminhada para o hospital de Patos, onde foram feitos os outros exames. Com os exames na mão, a mulher voltou para a cidade de Patos, onde foi desenganada pela medicina, conforme ela mesma informou à reportagem. Ainda de acordo com a mulher, os médicos só lhe deram, no máximo 30 dias de vida.


Desenganada pela medicina, a mulher resolveu apelar para medicina alternativa. O Tratamento é jeito, através de plantas. A partir daí, remédios caseiros para a cura de
doenças comuns como gripes, resfriados e problemas digestivos, inflamações e até o câncer, estão presentes no dia-a-dia da sertaneja.

No início do tratamento à base de plantas, a mulher usou várias: casca de jurema preta, casca de baraúna, casca de camarú, raiz de mameleiro, chá da folha de Corona, chá de malva do reino, hortelã, Benzetacil, suco de noni, entre outras.

“Remédio da planta caseira você pode tomar quantas vezes quiser. Não tem contra indicação”, disse a agricultora.

Depois de três anos do último contato com os médicos, a mulher está mais viva do que nunca. Ela só não trabalha na roça com o esposo. Mas, toda "luta" de casa quem faz a dona Raimunda Francisca.

E pela disposição mostrada, durante a visita da VPNTV na sua residência, dona Raimunda Francisca ainda vai viver por muitos anos.

Em levantamento realizado pelo Ministério da Saúde, verificou-se que a fitoterapia está presente em mais de uma centena de municípios brasileiros, contemplando quase a totalidade dos Estados. Devido à importância da fitoterapia para a saúde pública, o Ministério da Saúde desenvolveu a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde, validando o uso das plantas medicinais como terapia segura.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, 80% da população dos países em desenvolvimento utilizam práticas tradicionais nas unidades básicas de saúde. O Brasil tem grande potencial para o desenvolvimento dessa terapêutica, por ter a maior diversidade vegetal do mundo, uma grande diversidade cultural e a tradição de utilização de plantas medicinais.

Vale do Piancó Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!