domingo, 30 de julho de 2017

DAGMAR BATISTA


Dagmar Batista dos Santos, também conhecido como Sargento Dagmar, é natural de Monteiro - PB, nascido em 30 de Julho de 1938. 
Incluído na Polícia em 12 de Outubro de 1957. Promovido a Cabo em 1961, 3º Sargento em 1962, 2º Sargento em 1965 e promovido a 1º Sargento em 23 de Junho de 1986.

Dagmar como policial trabalhou em João Pessoa, Campina Grande, Patos, Conceição, Piancó e chegou a Itaporanga em 03 de fevereiro de 1963, exercendo a função de Radiotelegrafista desta cidade e prestando seus serviços a todas as cidades satélites, devido ser naquela época o dos poucos meios de comunicação existente na região. Exerceu também o cargo de 1º Suplente de Delegação da Polícia no período de 1965 á 1977, num total de 12 anos. Exerceu a função de Radiotelegrafista da 3ª Companhia de Itaporanga, além de outros serviços de policiamento ostensivo nesta e noutras cidades, até 2014, quando passou para a Reserva.

O curso datilografia, que na época era imprescindível, fez na Escola Caçula Leite, na cidade Conceição, em 1958. Fez o Curso de Radiotelegrafia na Escola Miguel Sátiro, na cidade Patos - PB, em 1959. Já o curso de habilitação profissional, Radiotelegrafista QCG foi feito em João Pessoa. Prestou concurso para Radiotelegrafista PM/PB. Fez o curso de Direção Defensiva, pelo SENAC, em Itaporanga. O curso de 1º e 2º Graus foi também na cidade Itaporanga; onde recebeu uma condecoração por ter sido considerado o melhor aluno do ano de 1982, que foi fornecido pela imprensa, no caso, o Correio da Paraíba. 

Ainda faz parte do seu currículo: o Diploma da Primeira Semana de Geografia, realizado na cidade de Patos, em 1979. Diploma de participação da Semana Cultural desta cidade, (Grupo Teatral de Cajazeiras). É ex-professor do Colégio Dom João da Mata, desde 1979. Licenciado em Geografia pela Faculdade de Ciências em agosto de 1986, recebeu o diploma de tempo de Serviço Policial Militar com medalha e passador de prata por mais de vinte anos de serviços prestados aquela instituição, conferido pelo Exmº. Sr. Cel. CMT Geral, Benedito Lima Junior, pelo decreto nº. 8576, de 30 de Julho de 1980. Portador também do título de Cidadão Honorário, conferido pela Câmara Municipal de Itaporanga, através de Decreto-Lei aprovado por unanimidade e sancionado pelo digníssimo prefeito Dr. João Franco da Costa, em 1985. Atualmente é professor nesta cidade, casou-se com a itaporanguense Arlete Batista de Almeida, com quem teve as filhas: Sheila Sandreani Batista de Almeida e Shirlene Andréa Batista de Almeida. Professor concursado do Estado em 1988. Trabalhou no Colégio Estadual de Boa Ventura. Em seguida, passou a disposição da prefeitura de Itaporanga por solicitação do prefeito Will Rodrigues ao governador Burity. Na prefeitura, assumiu a secretaria de obra e urbanismo durante quatro anos, depois transferido para câmara dos vereadores onde assumiu a tesouraria da mesma na gestão do vereador presidente Audiberg Alves, atual prefeito. 

Arlete Batista, sua esposa, depois de muito lutar por sua saúde, no dia 30 de outubro de 2015, veio a falecer, aos 75 anos e oito meses e o seu corpo se encontra enterrado no cemitério local.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!