terça-feira, 11 de julho de 2017

Coutinho sem controle


O governador Ricardo Coutinho faz da Assembleia Legislativa uma extensão de sua cozinha, mas o povo é que termina frito. Ele, Sua Excelência, aumentou impostos e taxas o tanto que quis: ICMS, IPVA e outros foram às alturas. O paraibano, que é hoje o brasileiro mais tributado do país, sente isso na conta de luz, telefone, gás, no preço dos remédios, na renovação do emplacamento do carro. Um verdadeiro pacote de maldade fiscal contra o povo, e ainda fala mal de Temer.  
                
Apesar de arrecadando mais, Sua Excelência, o Coutinho, reduziu o dinheiro para os hospitais interioranos, matando muita gente; fechou centenas de escolas, acabando muitos futuros; e agora começa a privatizar a educação do estado sem discutir com ninguém, e ainda abre a boca para criticar as reformas de Temer. Falou mal da privatização e foi o primeiro a implantá-la, alías, já tinha feito isso bem antes em parte da rede estadual de saúde.
              
Mas, partindo de Coutinho, parece que todos os pecados são perdoados, e crimes também, pois não é a Assembleia a única instituição que se ajoelhou perante Ricardo e sua ideologia de "faça o que eu digo, mas não faça o que faço".  E por que isso não repercute no estado?  Por outra razão ricardista: a maior parte da imprensa, do interior à capital, está comprada pelo dinheiro público para silenciar mesmo. Prevalece a impressão de que está tudo bem no estado, que está tudo andando bem, e fora, Temer.

Folha do Vale

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!