terça-feira, 11 de julho de 2017


A hipertensão arterial é um fator de risco maior para as doenças cardiovasculares. As doenças mais temidas com alta morbimortalidade são diretamente ligadas à hipertensão arterial. Infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico, insuficiência cardíaca, aneurisma de aorta, dissecção de aorta, entre outras, são alguns exemplos. Portanto, tratar adequadamente a hipertensão arterial é de suma importância no contexto da cardiologia preventiva. Entendemos que o tratamento da hipertensão arterial deve ser multifatorial, contemplando também as medidas não farmacológicas como pilares importantes para o sucesso terapêutico. Remédio antihipertensivo é necessário, contudo não isoladamente.

Leia abaixo as recomendações nutricionais que impactam no controle da pressão arterial:

Plano alimentar saudável e sustentável, entenda como reeducação alimentar. Comer as refeições principais (café da manhã, almoço e jantar) e entre as refeições.

1- Dietas radicais não são sustentáveis e geralmente há descontinuidade e abandono.

2- A escolha de um padrão alimentar adequado traduz sinergismo entre os nutrientes, excluindo a idéia de focar em restrição de um só elemento ( exemplo o sódio ).

3- Saber montar o prato é de fundamental importância. A escolha dos alimentos deve ser baseada na característica nutricional de cada alimento e a quantidade deve ser controlada.
A dieta DASH  (Dietary Approaches to Stop Hypertension) é o padrão alimentar mais recomendado para o tratamento da pressão arterial –  frutas, hortaliças e laticínios com baixo teor de gordura; inclui a ingestão de cereais integrais, frango, peixe e frutas oleaginosas; preconiza a redução da ingestão de carne vermelha, doces e bebidas com açúcar. Ela é rica em potássio, cálcio, magnésio e fibras, e contém quantidades reduzidas de colesterol, gordura total e saturada. A adoção desse padrão alimentar reduz a pressão arterial.

4- A dieta do mediterrâneo rica em frutas, hortaliças e cerais integrais, também possui quantidades generosas de azeite de oliva (fonte de gorduras monoinsaturadas) e inclui o consumo de peixes e oleaginosas, além da ingestão moderada de vinho ( controversa no tratamento da hipertensão arterial ). A adoção dessa dieta parece reduzir a pressão arterial. Além disso, a dieta do mediterrâneo mostrou benefício na redução do risco cardiovascular global na profilaxia primária e secundária.

5- A dieta vegetariana rica em alimentos de origem vegetal, em especial frutas, hortaliças, grãos e leguminosas; excluem ou raramente incluem carnes; e algumas incluem laticínios, ovos e peixes. A dieta vegetariana parece se associar à redução da pressão arterial.

6- O consumo de sódio deve ser controlado. Consumir até 2 gramas por dia de sódio é o ideal para hipertensos. O brasileiro consome em média 11,4 gramas por dia de sódio.

7- Alimentos industrializados, enlatados, embutidos e os que são preparados fora de casa (restaurantes por exemplo) contém grande quantidade de sódio. Cuidado com o consumo desses produtos rotineiramente e com o hábito de comer em restaurantes, você pode estar ingerindo sódio em excesso.

8- O consumo regular de bebida alcóolica eleva a pressão arterial, portanto é recomendado evitar o consumo de alcóol para reduzir a pressão arterial.

9- O café, embora contenha cafeína, substância cardioestimulante, contém polifenóis que auxiliam no controle da pressão arterial. O consumo moderado de café (até 600 ml por dia) não se correlacionou com o aumento da pressão arterial em estudos publicados recentemente.

Ácidos graxos insaturados, fibras, oleaginosas, lacticínios, vitamina D, alho, chá verde, chocolate amargo, são produtos que contém elementos hipotensores e portanto fazem parte da dieta DASH.


Clínica Med Center: 📱 (83) 998560355 - WhatsApp ☏ (83) 3451-2402 📍 Rua Horácio Gomes, 137, Centro Itaporanga - PB

Cuidando bem de você e sua família.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!