sexta-feira, 30 de junho de 2017

O São Pedro de Cachoeirinha, Só Deu “Paredão”. Tristes Dias os Nossos

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO
..............................................................................................
O São Pedro de Cachoeirinha, Só Deu “Paredão”. Tristes Dias os Nossos
(Reynollds A Cabral)

Sabe, leitor, todos os anos eu vou ao São Pedro de Cachoeirinha, distrito da cidade de Ibiara, espaço que reúne gente de todo o Vale do Piancó. Lá estão as raízes do meu amor e são sempre momentos de alegria, de forró, e hoje cada vez mais menos.

É que entraram no circuito umas músicas coetâneas, de “um tal” de paredões, que é uma batida frenética, constante, que a garotada gosta. São outros tempos e cada tempo tem o seu “Vício”.

Bonito ver a garotada dançando, bradando, cantando. Uma letra mais estranha que a outra. É como disse o meu amigo, jornalista, escritor PAULO CONSERVA: “Estamos ficando velho Reynollds”“.

Mas não, acho que é falta de qualidade musical mesmo. A indústria da música faz isso de propósito, para ganhar e alienar essa meninada, mesmo que subliminarmente, mas com um firme propósito de desviar na musica de qualidade que prepara o ser humano, fazendo-o pensar, sonhar, amar e se emocionar. Tristes dias esses nossos.

Mas, levei o meu repertório à parte, foi um céu em meio ás trevas e aproveitei e fui “testar” o forró da minha sogra Naná, que cada vez está melhor. Dançamos pacas, na cozinha. Ela está pagando a um “personal trainer” para ensiná-la a dançar forro. Toinha está craque.

Em meio essa avalanche de “musicas paredistas” um ou outro forró e a festa virava uma festa junina. Dancei muito com o meu amor e também as outras músicas, pois como diz um ditado popular “ em Roma como os romanos”, que não sou besta. Nada de preconceitos leitor, e aproveite o momento.

Mas é a vida. Nada fica para permanecer e tudo é temporal, passageiro, não tem jeito. Só o espírito imortal segue adiante, pois é imortal, mas não segue mais o mesmo. A vida é hoje, pois só ela, de fato, existe, sempre existindo. Então, aproveite cada segundo, as pessoas, as paisagens, os momentos. Promova a felicidade, pois ela só depende de você. Isso é conquista da alma e o resto são desafios que cabem certinho na vida de cada qual, pois Deus, a causa, e não o “deus” pregado pela maioria das religiões, não joga dados e tudo é causalidade, lei maior que nos rege a todos.

Ficou a lembrança dos velhos “São Pedros” de outrora, do “finado” Campestre Clube de Itaporanga”, com aquelas noites mágicas e a visita de seus filhos, espalhados por esse mundo de meu Deus, que vinham á terrinha, em dia programado, para dançar forró ao som de Luiz Gonzaga, O Trio Nordestino, Elma Ramalho, Marinês, Os três no Nordeste, Dominguinhos e bandas de qualidade. Há mais vida dentro de nós que fora, leitor.

Vale um destaque: o excelente som do nosso “NILSON SOM”. A sua banda é de qualidade e tem um cantor jovem que arrancou suspiros da garotada. O “Cabra” tem uma voz especial. Quando ele, nas poucas vezes, mudava o repertório para o forró, de qualidade, via-se o nível de sua voz, apesar da juventude. Antes uma família com Pai, filhos e nora, que animou bem o SÃO PEDRO DE CACHOEIRINHA.

Hoje começa o nosso SÃO PEDRO, o de Itaporanga.
Estou preparado para “forrozar.
Mas se tiver “paredão”, também vou “paredar”
O bom mesmo é rebolar o corpo
Não adianta com os novos tempos brigar
Nada existe para ficar.

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!