quarta-feira, 14 de junho de 2017

Em Itaporanga, adolescentes andam 6 km a pé diariamente para conseguir estudar, e reclamam

Por Redação da Folha – Todos os dias, entre a ida para a escola e o retorno para casa, são seis quilômetros percorridos a pé por um grupo de estudantes do sítio Saquinho, município de Itaporanga. Cansaço e muitas queixas também, mas, até agora, sem nenhuma providência.
                
São mais de dez adolescentes que moram no sítio, mas estudam na cidade. O problema, conforme alguns deles, que procuraram a redação da Folha, é que o ônibus escolar, que deveria ir até a localidade onde residem os estudantes, não aparece e os jovens são obrigados a vencer uma longa estrada a pé para chegar à margem da BR-361.
                
Um trajeto penoso e temerário para os adolescentes. “É pior no retorno, porque a gente já tá cansado e o sol está muito quente”, comentou um deles. Conforme outro estudante, desde a gestão passada que o ônibus deixou de ir até o sítio. “Mas, antes, o ônibus ia pegar e deixar a gente perto de casa, mas, no prefeito passado e nesse agora, a gente tem que andar a pé”, lamentou.
                 
Os estudantes disseram que já falaram com o motorista do transporte, e ele argumenta que o ônibus não cabe na estrada, mas os adolescentes contestam essa explicação  e garantem que a via oferece condições de tráfego. “E, mesmo que fosse ruim a estrada, a Prefeitura tem máquina e só era ajeitar”, disse um dos jovens, que apela por providências, uma vez que o transporte escolar é direito do estudante, assim como a preservação da integridade física e moral de todo e qualquer adolescente, garantida pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. Foto: uma estudante caminha em direção à sua casa depois da aula, um trajeto penoso. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!