terça-feira, 30 de maio de 2017

TATUAGENS SÃO SEGURAS? PODEM SER MUITO BONITAS, MAS TODAS APRESENTAM RISCOS


Claro, a estética é primordial, e as tatuagens ainda não dão sinal de saírem da moda. Mas todas elas podem apresentar complicações e riscos para a saúde se precauções rigorosas de higiene não forem tomadas.

Por: Nathalie Szapiro-Manoukian – Le Figaro Santé
  
Qual desenho? Qual estilo? Em qual lugar? Esses são questionamentos legítimos quando se decide fazer no próprio corpo uma tatuagem. Mas, em termos de boa saúde, uma outra pergunta deve ser feita em primeiro lugar: Com qual tatuador? É necessário distinguir com clareza um verdadeiro artista da tatuagem profissional, que trabalha em perfeitas condições de higiene, e um vendedor barato de “tatuagens” negras temporárias, usadas geralmente no período do verão, feitas com produtos contendo a parafenilenodiamina (PPD).
Tais produtos, com efeito, são responsáveis por uma grande quantidade de reações nocivas (eczemas de contato e alergias). Bem diferentes desses vendedores ocasionais, os verdadeiros artistas tatuadores devem passar por um curso e um treinamento oficial ministrado pelos serviços de higiene e, pelo menos na maior parte dos países europeus, devem declarar sua atividade às agências regionais de saúde. Embora tais providências
não assegurem minimamente a qualidade artística do seu trabalho, tais medidas são tranquilizadoras.


Desinfetar a tatuagem
Mesmo quando se encontra um tatuador profissional competente, certos erros provocados pelo próprio tatuado podem ocorrer se não forem corretamente seguidas algumas normas e cuidados. Por exemplo, é preciso desinfetar a tatuagem com água e sabonete duas a três vezes ao dia, e aplicar na área um creme cicatrizante.

Com efeito, a tatuagem é uma prática que provoca uma ferida na pele. Usar materiais estéreis ou para serem usados uma única vez, sem nunca misturar as tintas com água não esterilizada, são medidas essenciais para evitar as infecções por vírus, estafilococos ou micobactérias. “Tais medidas possibilitaram uma grande diminuição dos casos de contaminação pelo vírus da AIDs ou da hepatite”, informa o professor Misery, especialista francês em doenças da pele.

Por outro lado, escolher um tatuador profissional sério e talentoso não resolve tudo. É preciso também usar roupas largas e bem ventiladas durante o período de cicatrização da tatuagem, e não se expor ao sol nem tomar banho de mar ou de piscina durante 3 a 4 semanas após ter feito a tatuagem.

Às vezes, os problemas não vêm nem do tatuador nem do cliente, mas do próprio organismo que cicatriza mal ou não tolera a presença da tinta. “As reações geralmente aparecem nos primeiros meses após ter feito a tatuagem, às vezes só aparecem anos depois. A tatuagem começa a coçar na região de uma cor (geralmente o vermelho ou suas derivadas) e pode inchar a ponto de deformar o desenho que se torna irreconhecível. É impossível se prever o que pode acontecer, mas quando uma reação do gênero aparece, é melhor evitar a cor responsável pelo problema quando se fizer uma nova tatuagem. Por fim, no caso de certas doenças da pele como a psoriasis, suas manifestações costumam aparecer nas zonas traumatizadas e portanto bem ao nível da tatuagem. É preciso absolutamente evitar fazer qualquer tatuagem se a pessoa que sofre de psoriasis estiver num momento de crise.

De qualquer forma, os tatuadores sérios e responsáveis costumam respeitar as indicações dos dermatologistas: nunca tatuar nas proximidades de uma lesão, de uma verruga ou de uma mancha. Pode se tratar de um melanoma, e será impossível vigiá-lo se estiver recoberto por uma camada de tinta.


Tatuar os olhos é péssima ideia
Tatuadores sérios, por outro lado, nunca fazem tatuagens no branco dos olhos. Esta é uma prática bastante marginal, controvertida e que, por sinal, não é sequer uma tatuagem, e sim uma injeção de cor na conjuntiva. Tal prática é abominada pelos oftalmologistas e dermatologistas. Os efeitos das tintas nunca foram testados sobre as mucosas e há muitos casos nos quais a tinta migrou para as estruturas internas dos olhos, ocasionando uma inflamação e até mesmo perda da visão.
A tinta da tatuagem pode ainda reservar surpresas. Pessoas tatuadas, que passam por acompanhamento médico em casos de câncer, e que passam por um escaneamento, podem apresentar um resultado positivo: os seus gânglios parecem atacados pela doença, e são retirados. Mas exames ulteriores mostram que eles eram sadios!


Eliminar uma tatuagem
Hoje, se o número de candidatos interessados em fazer uma tatuagem permanece alto, o número dos que desejam eliminá-las também é. “Embora seja possível eliminar uma tatuagem com o uso do raio laser, a região ficará para sempre marcada por uma cicatriz mais ou menos evidente”, explica o professor Misery. Esta é uma das razões pelas quais a decisão de se fazer tatuar deve ser precedida por muita reflexão. “A de-tatuagem é um ato médico realizado por um dermatologista habilitado feito com um laser Q-Switched, mas nem todas as cores podem ser apagadas perfeitamente. As tatuagens étnicas, pouco pigmentadas, muitas vezes desaparecem melhor e mais facilmente do que aquelas realizadas por grandes profissionais”, lembra o médico Kluger, um outro dermatologista europeu especializado. Trata-se de um processo longo: uma sessão ao mês, durante dois anos, às vezes bem mais. Tudo depende de como a pele reage. E o processo é bem caro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!