sábado, 20 de maio de 2017

Sessões de Júri em Itaporanga e Conceição terminaram com absolvição e condenação

Por Redação da Folha – Essa semana foi de sessões nos Tribunais do Júri das comarcas de Itaporanga e Conceição. Os últimos julgamentos nas duas comarcas ocorreram na última quinta-feira, 18, mas com resultados diferentes.
            
Em Itaporanga, o Júri, presidido pela juíza Brena Brito, inocentou o agricultor Francisco de Assis Alves Timóteo da acusação de tentativa de homicídio. Ele respondia em liberdade pelo crime, ocorrido em 2006, e motivado por uma confusão entre acusado e vítima em um campo de futebol na cidade de Pedra Branca.
            
Acusado pelo promotor Reynaldo Serpa Filho de tentar dolosamente contra a vida do seu desafeto, a quem feriu com dois tiros, o agricultor foi absolvido da acusação de tentativa de homicídio, e passou a responder por lesão corporal, mas, como o crime já havia prescrito em função do tempo, ele saiu do fórum completamente livre, conforme seu advogado Raminho.
            
Já em Conceição, o Tribunal do Júri aplicou uma pena de 31 anos de reclusão contra José Nildo Serafim da Silva, acusado de um duplo homicídio no sítio Boa Vista, município de Santana de Mangueira, em 2014.
            
Francisco Pereira Lopes, de 63 anos, conhecido como Véi Chiba, e João Xavier Izidoro, de 35, apelidado de Nego, moradoes da localidade, foram mortos a tiros quando bebiam na
casa de um deles. Eles desentenderam com o acusado, que sacou uma arma e matou os desafetos. Ele foi preso dias depois do crime no Pernambuco e se encontra recolhido desde então no presídio de Cajazeiras, onde vai permanecer depois da condenação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!