sexta-feira, 5 de maio de 2017

Prefeitura traz lixo para aterro em Itaporanga, mas custo ficou acima do que era pago em Piancó


Por Redação da Folha – A atual gestão municipal de Itaporanga rescindiu o contrato com um aterro sanitário (Emlurpe) localizado no município de Piancó, para onde destinava seus resíduos sólidos, e, no mês passado, contratou um aterro sanitário local, que foi aberto no final de março em uma área rural itaporanguense.  
                
A empresa de aterro sanitário contratada pela Prefeitura, pelo critério de inexigibilidade de licitação, é a ITARESIDUE UNIDADE DE TRATAMENTO DE RESÍDUOS LTDA. O valor é de 384 mil reais em 12 meses, o que dá uma quantia mensal de 32 mil reais. Desde o começo de abril, o lixo da cidade já está sendo recebido e finalizado pela empresa local.
                
Mas o valor contratado com o aterro de Itaporanga é maior do que a atual gestão vinha pagando à empresa localizada em Piancó para a mesma atividade, conforme o objeto do contrato: “Contratação de empresa para o recebimento e destinação final dos resíduos sólidos (aterro sanitário) proveniente do Município de Itaporanga-PB”.
                
Conforme informações do Tribunal de Contas do Estado, a administração municipal vinha pagando, mensalmente, 28 mil reais ao aterro sanitário de Piancó, e passará a pagar, todo mês, 32 mil ao aterro de Itaporanga, um aumento de 4 mil reais.
              
É certo que a Prefeitura vai economizar em combustível porque diminuirá substancialmente a distância percorrida pelos caminhões para deposição do lixo, mas poderia também
economizar no contrato com a empresa local, mantendo o mesmo valor que vinha sendo pago à empresa de Piancó, uma vez que o município de Itaporanga se encontra em calamidade administrativa decretada pelo próprio prefeito. Imagem: cópia de empenho mostra que a Prefeitura vinha pagando 28 mil reais ao aterro de Piancó.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!