segunda-feira, 8 de maio de 2017

Com nº assustador de comissionados, gestão atual de Piancó repete mesmo erro da passada


Por Redação da Folha – Dados do Tribunal de Contas do Estado mostram que a Prefeitura de Piancó tem um número excessivo de servidores comissionados, que são de livre nomeação do prefeito. O quantitativo de comissionados é de 434, o que consome mais de meio milhão de reais mensalmente.
                
Somente o número de coordenadores chega a 246, enquanto a quantidade de diretores é de 114 e a de superintendentes, de 20, sem contar os secretários (12), diretores, vice-diretores e outros.
                
O número de comissionados em Piancó é seis vezes maior do que o de Itaporanga. Com tantos comissionados e mais 40 contratados temporários, 37 dos quais médicos, o número de funcionários da Prefeitura piancoense chegou a 1.123 servidores em março passado, o que gera um custo mensal de 2 milhões e 160 mil reais.
                
Com tantos servidores, grande parte deles comissionados e sem ocupação prática, a atual gestão de Piancó repete o mesmo erro da administração passada, quando o gasto excessivo com pessoal impossibilitou o investimento municipal com recursos próprios em obras e projetos em benefício da coletividade.
                
Mas o fato é que a atual gestão conseguiu até superar o número de comissionados do governo passado e há outros agravantes no quadro de pessoal da Prefeitura, como, por exemplo, a quantidade excessiva de médicos e a contratação da própria mãe do gestor municipal, como psiquiatra, ao custo de 18 mil reais mensalmente, para ficar à disposição do município.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!