sexta-feira, 28 de abril de 2017

Reforma trabalhista aprofunda desigualdade social, acusa Renan

"É uma chantagem explícita: ou aceita ou cai fora. É o ‘dá ou desce’ trabalhista", afirmou o senador do PMDB

   
O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) disse que se sente "consternado" com a situação dos milhares de pais e mães de família, jovens, veteranos e trabalhadores de todas as categorias que estão apreensivos com as notícias que saem de Brasília sobre a reforma trabalhista. Para ele, a reforma retira direitos, é injusta e vai aprofundar a desigualdade social. As informações são da Agência Senado.

O líder da Maioria e do PMDB declarou que, às vésperas do Primeiro de Maio, o Brasil precisa dizer alguma coisa a seus trabalhadores e ponderou “que não é da melhor tradição que o presidente da República não fale às famílias”. Renan criticou a regra de que o acordado se sobrepõe ao que está na lei.

" É uma chantagem explícita: ou aceita ou cai fora. É o ‘dá ou desce’ trabalhista",  afirmou.

Segundo Renan, o texto aprovado induz os assalariados a renunciar ao FGTS, horas extras e férias remuneradas, para se tornarem pessoa jurídicas. Para ele, não há nenhuma relação entre a geração de empregos e a chamada flexibilização das leis trabalhistas. Segundo o senador, esse discurso é usado para seduzir uma parcela da sociedade e garantir a retirada de direitos.


Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!