quinta-feira, 27 de abril de 2017

GTE descobre origem do carro utilizado na ação criminosa contra banco em Diamante

Por Redação da Folha – Agentes do Grupo Tático Especial (GTE) da delegacia de Itaporanga descobriram a procedência do carro, um Fiat Pálio, utilizado na ação criminosa ocorrida durante a madrugada desta quarta-feira, 26, contra uma agência do Bradesco da cidade de Diamante.
                
Depois de explodirem o caixa eletrônico, os criminosos fugiram em direção a Ibiara pela PB-386, mas, depois de percorreram poucos quilômetros, abandonaram e incendiaram o veículo (foto), seguindo em outro carro.
                
Com os dados que restou no veículo destruído pelo fogo, os policiais descobriram que o carro pertence a Ademir Ferreira de Moura, que reside em Recife, de onde o Pálio foi roubado em dezembro de 2015.
                
Desde então, o carro vinha circulando normalmente, mas usando placa de outro veículo em situação regular, ou seja, o carro foi roubado e clonado para parecer legal. Os criminosos utilizavam, indevidamente, no Pálio roubado a placa de um veículo regular pertencente a Álisson Silva Lopes, residente na cidade pernambucana de Caruaru.
            
Álisson começou a receber mutas por infração de trânsito que não havia cometido, então desconfiou que a placa do seu carro tinha sido clonada. Foi quando procurou a polícia para denunciar o crime. 
                
Apesar de ter descoberto a origem do carro, a identificação dos criminosos ainda é um mistério para a polícia. Ao menos cinco homens participaram da ação, mas não levaram dinheiro porque a explosão não foi suficiente para destruir o equipamento. Imagens de câmeras de segurança foram analisadas e não há indícios da participação de pessoas em moto, como a princípio foi divulgado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!