quinta-feira, 20 de abril de 2017

Dia de protesto em Coremas: todas as entradas da cidade foram fechadas contra decisão da ANA

Por Redação da Folha – O dia foi de protestos nesta quarta-feira, 19, em Coremas. Centenas de pessoas fecharam todas as entradas da cidade durante horas em protesto contra a decisão da Agência Nacional das Águas (ANA) de abrir as comportas do açude Estevam Marinho e liberar água para o Rio Grande do Norte.
                
As comportas do reservatório foram abertas na tarde dessa terça-feira, 18, o que revoltou a população coremense em razão do açude estar com menos de 8% de sua capacidade e não ter condições de liberar água sob risco de um colapso hídrico, o que traria impactos diretos sobre os moradores da cidade.
                
Revoltadas, centenas de pessoas fecharam todas as três entradas da cidade: a rodovia PB-366, em dois trechos, e a PB-342, em um trecho único. Elas ligam a cidade coremense a Patos, Piancó e São José da Lagoa Tapada. Os manifestantes ocuparam as estradas e atearam fogo em pneus na pista, interrompendo o trânsito nos dois sentidos.
                
As manifestações duraram horas e foram iniciadas, no final da manhã, com uma multidão ocupando a área onde ficam as comportas do açude. Muita gente também adentrou à usina hidrelétrica, que é movida pelas águas do açude e gera energia elétrica para a Chesf
(Companhia Hidrelétrica do São Francisco). Policiais militares foram acionados e os manifestantes expulsos do local, que é perigoso por causa da eletricidade. Jatos de pimenta foram utilizados contra as pessoas.
                
Depois disso, ainda mais revoltada, a população ocupou as rodovias, que só foram liberadas no começo desta noite depois de um entendimento entre manifestantes e polícia, mas focos de protestos ainda são vistos na cidade neste momento. A Promotoria de Justiça resolveu também entrar na luta popular e convocou uma reunião com os vereadores locais na manhã desta quinta-feira, 20, para discutir o assunto.
                
Os vereadores Sérgio Lopes e Laedson Andrade criticaram a decisão da ANA, classificando-a como temerária em razão do baixo nível do reservatório. Os parlamentares mirins manifestaram apoio ao protesto popular e pretendem engrossar a luta pelo fechamento das comportas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!