domingo, 16 de abril de 2017

Após sofrer bullying por 3 anos, menina desenvolve fobia de escola

Atualmente, menina de 12 anos toma remédios contra depressão e está em tratamento psiquiátrico.


Uma menina de 12 anos, que preferiu não ser identificada, vai ficar 30 dias afastada da escola por determinação médica. Negra e adotada, a vítima sofreu bullying em três colégios diferentes em Belo Horizonte, durante três anos. Atualmente, toma remédios contra depressão e está em tratamento psiquiátrico.

"Era uma das poucas negras do colégio, mas nunca a incomodou. Os colegas nunca haviam dito ou a tratado diferente, apesar de olhares tortos que percebia de alguns pais. Mas, quando fez 9 anos, os apelidos e provocações com sua pele e cabelo começaram" , conta a mão da menina, Lúcia Helena, de 51 anos.

Após ser alvo de piadas em dois colégios, a família decidiu matricular a pré-adolescente em um colégio religioso, onde tudo piorou.

"A escola não soube recepcioná-la, e ela foi excluída dos grupos", diz.

No último novembro, a menina quase foi suspensa pela direção da escola pois revidou a uma ofensa com um tapa. Após o episódio, a menina disse que preferia morrer do que
voltar as aulas. Devido ao processo de depressão, a aluna foi reprovada pois perdeu as provas finais e a recuperação.

"Tentei explicar que ela não tinha condições de fazer as provas, que estava sob efeito de remédios fortíssimos, mas a escola foi irredutível", conta a mãe.

Atualmente, a pré-adolescente está matriculada em outra escola, onde vai estudar assim que se recuperar. "Ela não quer sair de casa nem conversar, desenvolveu fobia de escola. O dano é tão grave que os médicos me recomendaram não deixá-la sozinha, vigiar o que faz e evitar deixar facas e remédios ao seu alcance", diz Lúcia. As informações são do R7.


Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!