terça-feira, 28 de março de 2017

TRAVADO. VOCÊ JÁ FICOU PARALISADO DIANTE DE UMA SITUAÇÃO?


O travamento é uma forma de reação que algumas pessoas têm frente a um perigo/ameaça e/ou estresse extremo. Geralmente essa paralisia é de curta duração, mas suas consequências podem ser bem sérias
Por: Dr. Ricardo Jonathan Feldman
Fonte: www.einstein.br/noticias

Quando uma pessoa está frente a uma situação muito estressante ou traumática ela pode reagir de 3 maneiras diferentes: correr e fugir; lutar e enfrentar; ou ficar "travado", paralisado diante da situação. 

Dependendo das características desta crise e sua frequência pode-se incluí-la no que a medicina chama de transtorno dissociativo. 

Este transtorno acontece quando uma pessoa, frente a uma situação muito estressante ou traumática, sofresse uma espécie de separação da sua mente do resto do corpo e apesar de acordada e com todas as possibilidades de se movimentar, não consiga reagir devido a
esta "desconexão". Esta separação da mente pode dar ao corpo uma "vida própria", variando comportamentos de paralisia até agitação extrema e violência, dependendo de cada um, sem a consciência plena desses atos.

Porque a crise ocorre? 
O mecanismo de como a crise ocorre não está esclarecido, mas diversas interpretações podem ser feitas para explicar o fenômeno da paralisia. A "fuga da mente" neste momento pode significar, por exemplo, a tentativa a todo o custo de uma pessoa evitar o contato com aquela situação, recusando-se a enxergar a realidade, como se ela não existisse ali. Isso depende de vários fatores e, principalmente, da predisposição individual e características de personalidade para se reagir desta forma, não sendo uma regra para todos.

O que acontece no organismo no momento da crise? 
Também não está claro o que ocorre no cérebro durante a crise. Frente a uma situação de estresse o corpo geralmente reage com aumento da pressão arterial sanguínea e dos batimentos cardíacos (palpitação), vasoconstrição periférica (palidez) e vasodilatação em órgãos vitais para o enfrentamento da situação, como músculos. 

Com isso o corpo tenta concentrar o sangue nos locais que mais se necessitará dele naquele momento em caso de "fuga ou luta" e não "gastar" onde não seja essencial. Alguns dizem que esse desvio de sangue para os músculos é tão intenso que chega a faltar sangue no cérebro, o que levaria a paralisia, mas isso não está comprovado cientificamente.  

Como ajudar uma pessoa em um episódio de crise?
A crise geralmente é autolimitada e costuma passar alguns minutos após o fator desencadeante ser removido ou resolvido. Uma boa ajuda nessas horas é conduzir a pessoa até um lugar protegido e calmo, longe dos estímulos que levaram à crise. Conversar demonstrando preocupação e vontade em ajudar são boas maneiras de se acalmar e auxiliar na recuperação da crise.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!