terça-feira, 7 de março de 2017

Nova Olinda registra o 5º suicídio e alarma sociedade regional. Casos levam a uma reflexão

Por Redação da Folha – A falta histórica de investimentos do poder público em saúde mental tem feito do Vale uma das microrregiões do país onde mais as pessoas se matam. A depressão tem sido uma doença cada vez mais comum na região. Somente nos últimos meses foram vários casos de suicídio, mas o destaque foi para o município de Nova Olinda.
            
Do final do ano passado para cá, cinco pessoas tiraram a própria vida, duas delas no período inferior a 36 horas. O mais recente suicídio foi na noite desse domingo, 5, quando o jovem Antônio Agustinho da Silva (foto), de 27 anos, enforcou-se a 50 metros de sua casa, que fica no sítio Andreza, município de Nova Olinda.
            
O jovem, que era solteiro e residia na própria localidade, amarrou uma corda em uma árvore e tirou a própria vida. A família foi surpreendida pelo ato extremo do rapaz e está bastante abalada. Depois do trabalho pericial, o corpo foi encaminhado para exame necrológico em Patos. A informação é que o jovem tinha experiência de viajens a São Paulo. 
           
A morte do jovem ocorreu poucas horas depois do sepultamento do motorista do Samu da cidade, George Getúlio da Silva, de 32 anos, conhecido como Joca de Cicinho, que também tirou a própria vida. Tantos suicídios em um curto espaço de tempo em uma cidade tão pequena motivam uma tomada de providência por parte das autoridades em saúde pública: a implementação de saúde mental para o atendimento à população.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!