quinta-feira, 9 de março de 2017

HEI, PSIU ! SE PREPARANDO PRA CAMA ? : Então vejam o que não deve acontecer na hora de fazer sexo oral nelas

Parte importante das preliminares, o sexo oral é apreciado por muitas, mas alguns comportamentos frequentes durante a prática não as deixam nada felizes. Veja situações com as quais elas estão cansadas de se deparar


É raro encontrar mulheres que não gostam de receber sexo oral. Apesar de elas terem a capacidade de atingir o orgasmo com penetração, é mais fácil que o ápice do prazer ocorra durante o estímulo clitoriano, ou seja, com práticas como o oral. Além disso, fazer sexo oral é um importante passo nas preliminares , já que, por conta da excitação, a lubrificação do canal vaginal aumenta e o sexo fica muito melhor. 

Fazer sexo oral é um passo importante das preliminares, mas exige cuidados para não derrubar o prazer da parceira

Fazer sexo oral é um passo importante das preliminares, mas exige cuidados para não derrubar o prazer da parceira

No entanto, também não é difícil encontrar aquelas que estão cansadas de encarar
situações que fazem o prazer ir embora. Confira algumas coisas que devem ficar de fora na hora de fazer sexo oral  de acordo com elas mesmas:

Não vá rápido demais
Afobação e força são duas das maiores inimigas da prática. Segundo um grupo de mulheres consultado pelo Delas, é importante que não se vá “direto ao ponto”; carícias e beijos próximos à região (como a barriga e a coxa) são bem-vindos .


Sim, é importante não fazer apenas um movimento, mas variá-los o tempo todo pode fazer com que o prazer vá embora rapidamente. A dica é começar devagar e aumentar o ritmo de acordo com as reações dela.

Não aplicar muita força na hora de sugar ou lamber a região também é essencial; o clitóris deve permanecer onde está, não aja como se quisesse retirá-lo dali.

Não ignore os sinais
Quando a mulher diz coisas como “isso”, ou “assim mesmo”, ela realmente quer dizer “isso” e “assim mesmo” e não “mais rápido” ou “mude completamente o que você está fazendo”. É importante prestar atenção aos sinais da parceira, sejam eles em forma de dicas, alertas, gemidos, movimentos ou intensidade da respiração. Dessa forma, o caminho até o clímax não é interrompido.


Pode parecer brincadeira, mas é comum encontrar pessoas que acham que fazer oral se resume a mover a língua descontroladamente e esperar que haja um resultado. A “língua de helicóptero” deve ficar de fora da brincadeira, junto com técnicas como “desenhar” as letras do alfabeto com a ponta da língua (sim, é uma dica comum), imitar um cachorro bebendo água, tentar “cavar” o clitóris ou assoprar a região.

Mordidinhas e puxões são práticas muito bem aceitas em outras zonas erógenas, mas são impensáveis quando se trata da área íntima feminina. Por favor, não faça isso.

Postura da língua
Uma das reclamações mais recorrentes com relação à prática é sobre a rigidez da língua. A região é sensível e, portanto, deve ser acariciada com calma. Para isso, a língua precisa estar relaxada e ser usada por inteiro, nada de encostar só a pontinha, afinal você quer dar prazer ou fazer cócegas?

Sem nojinho!
A questão do sexo oral em mulheres costuma dividir opiniões, já que, de acordo com uma pesquisa realizada pela empresa Sex Wipes, 43% dos homens não são fãs da prática. Porém, 78% dos entrevistados para o mesmo estudo afirmam receber sexo oral frequentemente. A recicprocidade é importante até mesmo em encontros casuais, já que não é justo que o sexo seja prazeroso apenas para uma das pessoas. Portanto, nada de exigir sem retribuir!

Se ainda houver necessidade de incentivo, um estudo  realizado pela State University of New York no ano passado pode ajudar: após monitorar os hábitos sexuais de cerca de 150 casais, os pesquisadores descobriram que fazer sexo oral em mulheres traz benefícios à saúde.

Fonte: Delas – iG

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!