quinta-feira, 30 de março de 2017

Em Itaporanga, mulher foi em busca de atendimento no hospital e retornou indignada

Por Redação da Folha – Queixando-se de dores nas costas, secreção pulmonar e dificuldades de respirar, a dona de casa Andrea Oliveira, de 29 anos, moradora da Travessa Padre Lourenço, foi em busca de atendimento médico no hospital de Itaporanga na tarde desta quarta-feira, 29, mas não foi atendida.
            
Segundo ela, o pessoal da triagem alegou que seu caso não se tratava de urgência e recusou-se a fazer sua ficha de acesso ao médico. No entanto, a dona de casa argumenta que não está bem, tanto que, em uma consulta médica anterior, foi requerido um raio-x pulmonar, exame que ela fez e iria mostrar ao plantonista, mas terminou voltando para casa sem atendimento. Ela procurou a Folha para expressar seu descontentamento.
            
Além dos problemas físicos, veio agora também a indignação. “Não vou procurar um hospital sem necessidade: se procurei é porque preciso, até mesmo o profissional que fez o exame disse que meu pulmão apresentava problema”, comentou a dona de casa, que se sentiu  humilhada e constrangida: “fazem pouco caso da gente, não tem consideração”. Na quinta-feira da semana passada ela já tinha ido ao hospital e chegou a fazer a ficha, mas, depois de quatro horas de espera, desistiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!