terça-feira, 28 de março de 2017

Delegado ouviu viúva de comerciante morto em Piancó. Ela narrou os instantes de terror que viveu

Por Redação da Folha – O corpo do comerciante Lindoberto Pereira de Andrade, de 41 anos, morto a tiros dentro de sua própria casa, na Av. João Agripino, em Piancó, nessa segunda-feira, 27, foi sepultado no começo da noite desta terça-feira, 28, no cemitério de Coremas, cidade de onde ele era natural.
            
A delegacia de Piancó está apurando o crime, supostamente um latrocínio (matar para roubar), na tentativa de identificar os dois criminosos que, de cara limpa, invadiram a residência do comerciante intencionados a assaltá-lo, e tiraram sua vida na cozinha da residência, onde também estava a esposa da vítima e uma filha pequena do casal.
            
A polícia conseguiu imagens de câmeras de segurança da vizinhança que pode ter flagrado a passagem da dupla, que estava em uma moto, mas a visibilidade não está boa em função da escuridão noturna, conforme o delegado. José Pereira ouviu, horas após o fato, a viúva do comerciante.
            
Segundo Leide Daiana Medeiros Araújo, ela chegou com o esposo da padaria e subiu para o primeiro andar da casa, onde foi deixar a filha de dois anos do casal no quarto, enquanto o marido ficou na cozinha fazendo um lanche. Ele costumava deixar o portão aberto quando entrava em casa durante o dia, conforme a declarante.
            
De repente, a mulher disse que ouviu gritos e desceu ao térreo, onde se deparou com o seu esposo em luta corporal com dois homens. Ela chegou a gritar, indagando o que estava
acontecendo, mas, com medo, trancou-se no quarto com  a criança. Segundo ainda a viúva, quando tudo estava aparentemente calmo, ela foi até a varanda o primeiro andar e pediu ajuda aos vizinhos, mas, ao retornar a cozinha, encontrou Lindoberto já caído, atingido por três disparos: com ferimentos na cabeça, ombro e tórax. Ele chegou a ser socorrido com vida ao hospital, mas não resistiu.
            
Conforme ainda a viúva em declarações ao delegado, os criminosos levaram uma corente de ouro do comerciante. Ela disse também que não conseguiu identificar os assaltantes porque, no breve momento que presenciou a luta, um dos criminosos estava de costas, enquanto o outro ficou encoberto pelo corpo da vítima.
            
O delegado José Pereira acredita que não será fácil identificar os latrocidas em razão da falta de testemunhas e de pistas mais elucidativas, e apela para que quem tiver qualquer informação relevante sobre o crime ou os criminosos ligar para o 197 da Polícia Civil. A ligação é gratuita e o anonimato é preservado. Um dos criminosos deixou no local o calçado de um dos pés, perdido supostamente durante a luta corporal com a vítima: é um tênis 39. Foto: calçado foi encontrado na cena do crime e é de um dos latrocidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!