quarta-feira, 1 de março de 2017

Considerado um dos mais fracos dos últimos anos, carnaval do Vale teve um lado positivo

Por Redação da Folha – O carnaval deste ano na região foi considerado um dos mais fracos dos últimos tempos e isso se deve a vários fatores, o principal deles foi o baixo investimento público na festa. Prefeituras como Piancó e Conceição, por exemplo, não realizaram carnaval de rua, rompendo com a tradição pela justificativa da calamidade pública em função da seca e da crise.
            
Assim também ocorreu em Itaporanga, onde o poder público não promoveu nenhum evento festivo neste carnaval para os foliões e blocos locais. Já em Coremas, a Prefeitura manteve a festa, mas sem grandes atrações e pouca repercussão regional.
            
O carnaval só não foi de todo apagado por causa dos blocos carnavalescos que se formaram em várias cidades e se divertiram em suas próprias sedes e em eventos festivos promovidos por particulares: Conceição teve três áreas de festa durante o dia e a noite, inclusive com entrada franca. Em Itaporanga, foram dois eventos particulares ao longo da festa. Dois pontos de folia também em Piancó e Ibiara, que também teve carnaval de rua, assim como Aguiar e Coremas, únicas três cidades regionais com festa pública.
            
Mas, se por um lado, o carnaval do Vale não repetiu a mesma animação e abrangência de anos anteriores, pelo outro teve um ponto positivo: foi uma das festas momescas mais tranquilas dos últimos anos, não registrando nenhuma ocorrência de natureza grave diretamente relacionada ao evento, embora tenha havido muitas queixas de furto de celulares. Muitos foliões ficaram sem telefone neste carnaval. Foto: imagem da noite dessa terça-feira de carnaval no centro de Itaporanga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!