quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Demitidos na 2ª semana laboral e sem receber, trabalhadores de obra pública protestam em Itaporanga

Por Redação da Folha – Contratados pela Conserve, empresa responsável pela construção do campus do IFPB de Itaporanga, uma obra federal, dezenas de trabalhadores foram surpreendidos com a demissão sem justa causa após apenas 15 dias de trabalho, conforme denunciam. “Assim que assinaram a carteira da gente, eles nos mandaram embora sem dar nenhuma justificativa”, comentou um dos trabalhadores.
                
Após a demissão, ocorrida semanas atrás, a empresa prometeu pagar aos trabalhadores no dia 10 de fevereiro e renovou o compromisso para este dia 15, mas, até agora, eles não receberam. “O que a gente teve aqui foi despesa, gastando com combustível para vir trabalhar”, disse um trabalhador residente em São José de Caiana. Há também residentes em Nova Olinda, Diamante e em outras localidades distantes.
                
Segundo eles, mais de 37 trabalhadores estão nesta situação, ou seja, detidos e sem receber o pagamento. Na manhã desta quarta-feira, 15, dezenas deles fizeram um protesto no interior da obra, na tentativa de pressionar a empresa a pagá-los, e ameaçam procurar a Justiça do Trabalho se nada for resolvido. Confiantes no dinheiro que tinha para receber, muitos fizeram contas e estão sem poder quitá-las.
                
Os trabalhadores demitidos também argumentam que a empresa não oferece segurança aos seus servidores no canteiro de obras e que os funcionários ativos estão igualmente com pagamentos atrasados. “A empresa alega falta de dinheiro, mas, se não tinha dinheiro, por que contratou?”, questiona um dos demitidos. A obra do instituto federal está atrasada em mais de um ano e meio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!