domingo, 12 de fevereiro de 2017

ANTÔNIO VENTURA


Tonho Ventura nasceu no Sítio Cachoeira, no município de Misericórdia, em 12 de fevereiro de 1925. Muito pequeno, ficou órfão de pai e mãe e foi criado pelos seus padrinhos de batismo, que eram parentes de sua legítima mãe. Filho muito dedicado, ainda bem pequeno trabalhava no campo, para ajudar a família que o acolheu, era um homem de grandes virtudes.

Já adulto casou-se com uma parenta sua, a jovem Maria Ventura Neta (conhecida por Lia), uma moça recatada e filha única de Francisco Herculano, mas infelizmente seu casamento durou apenas um mês, pois a mesma veio a falecer, ficando ele, viúvo. 

Anos depois já estabelecido financeiramente, contraiu matrimônio com a Senhorita Carleuza Paiva Oliveira e, juntos formaram uma bela união e cumplicidade e dela tiveram quatro filhos: Ivan, casada com Jace do DER (Tiburcio Alves de Freitas, in memoriam); Maria José (Ivanlúcia), esposa do Dr. José Bezerra; Ildivan (Duvan) Casado com ângela Maria, morando atualmente em João Pessoa e Ivandelucia (Delúcia), casada com Paulo Rainério Brasilino.

Era organizado, homem de fibra, trabalhador e honesto. Como agricultor mantinha uma fazenda de belíssima qualidade, como também, tinha um plantel de vacas leiteiras que dava gosto de ver. Na parte comercial, colocou uma grande budega (nome denominado na época para mercadinhos, onde de tudo negociava, com grande sortimento, que ia do parafuso ao tecido, da peça de carro ao doce de leite com goiabada e por ai seguia...), novidade na época, pelo sortimento e por a mesma ser instalada na zona rural.

Era muito preocupado com o estudo dos filhos, valorizava muito a educação, talvez por não ter tido a oportunidade de estudar, aprendendo apenas o essencial. Doou o terreno para construção do Grupo Escolar do Sítio Cachoeira, onde lá estudava uma grande quantidade de crianças, uma das professoras foi Zilma Nitão. O grupo funcionava nos três turnos, até ser desativado.

Sua maior riqueza estava em formar os seus filhos, que na época era de grande valia e com muita dificuldade, mas graça ao seu esforço e dedicação conseguiu seu objetivo, mas o seu legado maior foi deixado através de sua honestidade, caráter, humildade e acima de tudo valorização e união da família, como algo maior que tudo. 

Era um homem que gostava de fazer amizades, prezava muito por elas, era feliz e amava a vida. Morreu no dia 03 de setembro de 2004, deixando aberta uma grande lacuna no seio familiar e na sua roda de amigos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!