segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

A folia deu lugar à queixa: Piancó sem seu carnaval de rua depois de 29 anos

Por Redação da Folha - Acostumada a toda a agitação momesca em muitos anos de carnavais, a avenida principal de Piancó foi tomada pelo silêncio neste tempo de festa, como um gesto de pesar pela morte da tradição. O fim do carnaval de rua da cidade, depois de 29 anos, foi determinado pelo prefeito em razão da seca que se abate sobre o município, conforme o gestor, que decretou calamidade pública municipal.
                
No entanto, para muitos piancoenses acostumados à festa, a justificativa da Prefeitura não foi bem aceita e há muitas queixas de foliões por todos os cantos da cidade. “Se Coremas está fazendo, acho que Piancó teria condições de também fazer”, disse um deles. “Acho que não precisa muito dinheiro para fazer um bom carnaval de rua, com pouco coisa é possível fazer uma boa festa”, disse outro.
                
Sem carnaval público, Piancó se desfigura, mas talvez quem mais sinta a falta da festa seja a massa popular. A grande maioria dos foliões não tem condições de participar dos carnavais privados dentro ou fora da cidade, privilégio de um grupo de pessoas de bom poder aquisitivo: a a elite política e econômica local.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!