sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Vereadores de Água Branca dão “jeitinho” para não receber salário mínimo


Atualmente, um parlamentar recebe um salário de R$ 2.700, sendo que o presidente da Câmara tem um salário de R$ 5 mil

Em busca da boa imagem junto à população de Água Branca, no Sertão da Paraíba, os vereadores do município chegaram a aprovar em junho do ano passado a redução do próprio salário, de quase R$ 3 mil, para um salário mínimo a partir deste ano. Mas, após faturarem a eleição, a Câmara Municipal encontrou uma “brechinha” legal para rever a decisão e voltar a ser tudo como era antes.

O ex-presidente da Câmara, Miraci Martins, o Mira de Peba (DEM), vetou o projeto alegando que a vereadora Maria do Desterro colocou uma emenda considerada inconstitucional. Um dos contemplados com a derrubada da lei é o filho de Miraci, o vereador Gustavo de Mira, eleito para o primeiro mandato.

De acordo com Miraci, a emenda previa que o dinheiro economizado com a redução dos salários fosse destinado a pessoas que não tinham condições de comprar medicamentos,
mas a proposta inicial era de que os valores fossem enviados ao executivo para ser revertido em serviços à população.

Miraci alegou que, embora não tenha sancionado o projeto de redução salarial, não houve aumento dos subsídios dos vereadores e que por isso não vai ocorrer prejuízos aos cofres da Câmara. Atualmente, um parlamentar recebe um salário de R$ 2.700, sendo que o presidente da Câmara tem um salário de R$ 5 mil. O gasto atual mensal com o pagamento dos salários dos vereadores é de R$ 25.600. Pela nova regra, passará a ser de R$ 8,8 mil por mês.

O projeto que não foi sancionado também previa a redução dos salários do prefeito e vice. Eles iriam receber o equivalente a dois salários mínimos, mas vão continuar recebendo R$ 10 mil e R$ 5 mil, respectivamente.

Angélica Nunes e Diego Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!