quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Sem chuvas açudes dão seus últimos suspiros em Piancó


Sem chuvas os pequenos açudes localizados na zona rural da cidade de Piancó, dão seus últimos suspiros. É comum se ver os grandes açudes diminuindo em tamanho e sua água indo embora através da evaporação. O sofrimento maior é dos animais que não tem como sobreviver. 

Na cidade, a população ainda consegue água em dias alternados, pagando um valor muito alto.

Um Adutora não será a solução, mas sim uma precaução. Pois sem água, como seria o funcionamento de uma Adutora nesse momento? Não tem utilidade. A Adutora seria uma maneira de se precaver para o futuro, quando as chuvas chegarem e os reservatórios encher.

A água que abastece a população piancoense está no seu limite mínimo e pode a qualquer momento acabar.

Segundo técnicos no assunto hídrico, as cidades devem ocupar grandes espaços e planejar açudes para que no momento futuro, quando a chuva chegar, esses reservatórios
possam ser a fonte de abastecimento da cidade caso ocorra uma situação semelhante a essa que já perdura há quase cinco longos anos.

Monitoramento – A Sala de Situação da Aesa, também conhecida como Centro de Gestão de Situações Críticas, monitora a variação climática de forma ininterrupta em todo o Estado, possibilitando a prevenção de eventos críticos como secas e enchentes. Ela funciona em Campina Grande, onde técnicos do Governo do Estado trabalham em sistema de plantão, acompanhando em tempo real os dados enviados pelas estações meteorológicas.

Oblogdepianco.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!