quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Cruz na beira de estrada memoriza morte de retirante em Itaporanga durante grande seca

Por Redação da Folha – Quem passa pela estrada principal de acesso ao sítio Genipapo, município de Itaporanga, vai observar uma grande cruz fincada na beira da via, simbolizando a morte de uma mulher na localidade, no final do século 19, durante uma grande seca. “Morreu de fome”, diz a inscrição na cruz, que virou ponto de orações e graças alcançadas.
                
Conforme informações de populares do sítio, que já herdaram  dos seus antepassados a historia de tradição oral, a mulher provavelmente se chamava Maria e acompanhava um grupo de retirantes, que transitava por um antigo caminho que cortava o lugar, fugindo da seca e em busca de sobrevivência. Milhares de pessoas, famílias inteiras, percorriam as estradas sertanejas durante as grandes secas ocorridas muitas décadas atrás à procura de melhores condições de vida.
                
Mas nem todos suportaram a longa jornada a pé em busca de terras com água, acolhida e trabalho. A fome, o calor e a escassez d’água eram cruciais na caminhada e alguns ficavam pelo caminho. A debilidade física em função da desnutrição e desidratação deve ter sido, de fato, a causa da morte da retirante como de muitas outras pessoas por aquele tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!