domingo, 29 de janeiro de 2017

29 de janeiro - Aconteceu em Itaporanga


Nesse dia em 1955, o Bispo Diocesano Dom Zacarias Rolim de Moura nomeou reitor do seminário o pároco de misericórdia, Padre Luiz Gualberto. Vaga a paróquia, o Sr. Bispo preencheu com o reverendíssimo Padre José Sinfrônio de Assis Filho que exercia as funções de Chanceler da Cúria Diocesana. Em 1978 a Câmara aprovou Projeto de Lei, revogando a denominação de Antônio Pereira Caiana (Projeto nº. 07/77, de propositura do Vereador Manoel Caina), dada, à Rua 13 de Maio e fazendo voltar o seu nome tradicional, ou seja, Rua 13 de Maio, a volta do nome tradicional daquela artéria urbana, deu-se por exigência dos moradores, capitaneados, pelo acadêmico de direito, Jurandir Eufrausino, que, na reunião, usou a tribuna e agradeceu aos Vereadores a volta do antigo nome daquela rua. (Livro de atas n°. 03-págs. 55v/57).

A título de curiosidade. Segundo pesquisa do Dr. Demir Cabral, na sessão do dia 29 de janeiro de 1978, a Câmara aprovou Projeto de Lei, revogando a denominação de Antônio Pereira Caiana, dada, à Rua 13 de Maio e fazendo voltar o seu nome tradicional, ou seja, Rua 13 de Maio. Ficou registrado nos anais da Câmara, que a volta do nome tradicional daquela artéria urbana, deu-se por exigência dos moradores, capitaneados, pelo acadêmico de direito, Jurandir Eufrausino, que, na reunião, usou a tribuna e agradeceu aos Vereadores a volta do antigo nome daquela rua. (Livro de atas n°. 03-págs. 55v/57). 
Nesse mesmo Projeto de Lei, dava o nome de Antônio Pereira Caiana à Rua Quintino Bocaiúva ou Benjamin Constant. Como pode um Projeto de Lei dar um nome a uma rua ou a outra? Optaram então, por mudar o nome da Rua Quintino Bocaiúva, será porque Benjamin Constant foi mais Importante?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!