sábado, 12 de dezembro de 2015

Conceição: secretário diz que perseguição de Coutinho contra município prejudicou educação. Entenda o caso

Por Redação da Folha – O secretário de Educação de Conceição, Fidelis Mangueira, fala com orgulho do avanço que o ensino municipal conquistou, segundo ele, na atual gestão, tanto em termos de quantidade quanto de qualidade. O ano letivo termina no próximo dia 18 com uma boa notícia: ganha corpo uma obra que vai ampliar ainda mais o número de vagas na rede municipal.

Conforme o secretário, a rede de ensino do município tem hoje cerca de 2.500 alunos e 200 professores, e é uma das maiores da região, resultado do aumento do numero de alunos nas escolas municipais nos últimos dois anos, conforme Fidelis. “Nós melhoramos a qualidade do ensino, com a distribuição de livros e material didático, merenda de qualidade e outros investimentos, e isso explica o aumento do nosso alunado, mas nossos desafios também aumentaram”, argumentou o secretário.

Esse aumento de alunos trouxe dificuldades em relação ao espaço físico disponível para atender tanta gente, de acordo com Fidelis. Embora o município tenha 39 escolas, a quantidade de sala de aula disponível pelo município, que atende da educação infantil ao ensino fundamental, ficou pequena para o grande número de matrículas. “Enquanto nossas escolas estão cheias, as escolas do estado estão vazias”, comentou o secretário. O desabafo em tom de revolta contra o governo estadual tem sentido.

No ano passado, a Prefeitura requereu do governo estadual a municipalização de duas escolas do estado de ensino fundamental na cidade (Leomar Leite e Bairro São José). Como são escolas que têm poucos alunos, se fossem repassadas ao município desafogaria a rede municipal, acabando com a superlotação nas salas, o que prejudica o rendimento dos estudantes. “Estava tudo certo para que as escolas fossem entregues à Prefeitura, inclusive nós já íamos assinar o convênio da municipalização, foi quando houve o rompimento político de Cássio com o governador, e, como o prefeito Nilson é ligado a Cássio, o governo arquivou o processo por pura perseguição política contra a Prefeitura, prejudicando a educação local”, lamentou o secretário.

De acordo com ele, é uma prerrogativa constitucional das Prefeituras a educação infantil e o ensino fundamental, tanto que várias escolas estaduais no Vale foram municipalizadas, mas a Conceição o governo estadual negou esse direito, segundo o secretario. Diante desse impasse e precisando de novas salas para acolher um numero crescente de alunos, o prefeito Nilson Lacerda deu início, no mês passado, a construção de uma escola de educação infantil com recursos próprios.

Conforme Fidelis, a obra, que esta orçada em 800 mil reais, deve ser inaugurada em março do próximo ano e vai atender cerca de 300 crianças com idades entre 4 e cinco anos e está localizada no centro da cidade. Foto: escola em construção vai ampliar ofertas de vagas na rede municipal de Conceição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!