sábado, 19 de dezembro de 2015

AS 50 CACHAÇAS FAVORITAS DOS MAIORES ESPECIALISTAS: Qual a cachaça paraibana da lista ?

Não tem uma, mas nem uma só cachaça nesta lista que não mereça estar onde está. Mas tem outras que deveriam ter entrado. O leitor mais objetivo me dirá: “mas, Dirley, para entrar uma teria que sair outra!” E eu respondo: sair nada, que venham mais cachaças. Bendito o que semeia cachaças a mão cheia! Porque como os livros invocados por Castro Alves, cachaças também guardam e revelam histórias. Caindo n’alma, é germe que faz a palma, é chuva que faz o mar.

Mas, para dar rumo à prosa, segue o lead: a Cúpula da Cachaça – grupo de especialistas do qual o blogueiro, orgulhosamente, faz parte – acaba de revelar a lista das 50 cachaças finalistas do II Ranking Cúpula da Cachaça, o mais abrangente concurso dedicado ao destilado nacional brasileiro. Os rótulos, selecionados por um painel de 38 especialistas a partir de uma lista de 250 cachaças eleitas em votação popular, participarão da terceira e decisiva fase do certame: a degustação às cegas feita pelos membros da Cúpula da Cachaça, em Analândia (SP) no final de janeiro.

Para o bem ou para o mal, a lista reflete uma tendência do mercado brasileiro de cachaças: a chamada premiunização. Nos últimos anos, as cachaças com diferenciais como garrafas especiais, envelhecimento mais demorado, blendagens especiais e outros diferenciais vêm ocupando uma fatia maior do mercado. Esse segmento vinha inclusive mantendo crescimento de vendas, enquanto o mercado de cachaças como um todo recuava – este ano, o recuo será geral, porém seguirá sendo mais severo para as cachaças “de guerra”.

Nada há de mal em si nesta tendência. A variedade na oferta só traz vantagem para os apreciadores. Esmerar-se em busca de um produto diferenciado é iniciativa digna de aplausos. O perigo é se produtores e consumidores começarem a achar que só cachaças de mais de R$ 60 são boas. E isso é rigorosamente falso. Uma cachaça branca,
fermentada e destilada nas regras da arte e descansada por alguns meses, pode, se a conjunção de talento, boas práticas e sorte ajudar, ser tão rica quanto um blend de cachaças envelhecidas 12 anos. Só que a primeira pode e deve ser vendida por cerca de R$ 30 a garrafa, enquanto a segunda terá necessariamente que chegar ao consumidor por mais de R$ 100 para compensar os custos maiores de produção e embalagem, perdas com evaporação, escala menor etc… Mas preço não tem relação direta com qualidade e ponto final (e essa é uma das dúvidas mais comuns para quem se inicia na devoção).

Dado o recado e antes de passar a lista das 50 eleitas para vocês, reclamarei de duas ausências. A Rainha do Vale, uma dessas brancas maravilhosas e que foi a melhor colocada nessa categoria no I Ranking, quase entrou desta vez, mas acabou de fora.  E a goiana Doministro Premium, envelhecida em carvalho, também bateu na trave. Não saberia qual cachaça excluir para tirar essas duas na qual o blogueiro foi voto vencido, mas ergo um brinde a elas – e com elas – enquanto vocês leem a sensacional Seleção dos Especialistas aí embaixo.

Um abraço!

Seleção dos Especialistas:
Anísio Santiago/ Havana
Áurea Custódio 3 anos
Authoral
Bento Albino Extra Premium
Canabella Ouro
Canarinha
Caraçuipe Ouro
Casa Bucco Ouro
Cedro do Líbano
Claudionor
Companheira Extra Premium
Coqueiro Prata (amendoim)
Da Quinta Umburana
Da Tulha Carvalho
Dona Beja Extra Premium
Engenho Pequeno
Espírito de Minas
Germana
Germana Heritage
Harmonie Schnaps Extra Premium
Harmonie Schnaps Prata
Havaninha
Indaiazinha
Leblon Signature Merlet
Magnifica Carvalho
Magnifica Reserva Soleira
Maria Izabel Carvalho
Mato Dentro Amendoim
Mazzaropi Carvalho Francês
Porto Morretes 12 anos Exp.
Porto Morretes Premium
Reserva 51
Reserva do Gerente Carvalho
Reserva do Nosco Ouro
Reserva do Nosco Prata
Sanhaçú Amburana
Sanhaçú Freijó
Santo Grau Cel Xavier Chaves
Santo Grau Paraty
Santo Grau PX
Sapucaia Reserva Família
Sebastiana Castanheira
Serra Limpa
Vale Verde 12 anos
Vale Verde 3 anos
Weber Haus Amburana
Weber Haus Carvalho/Cabriuva
Weber Haus Lote 48
Werneck Ouro
Werneck Safira Régia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!