sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Vidas, que alimentam Vidas


EDUCAÇÃO DOS SENTIMENTOS E FILOSOFIA ESPÍRITA
......................................................................................................
Vidas, que alimentam vidas
(Reynollds Augusto)

Estamos chegando a mais um fim de uma etapa, para começarmos outra, e outra, e outra... até chegarmos á “salvação”, apelidada pelas religiões; que nada mais é do que evolução, levando os espíritos, eu e o leitor, a atingirmos a perfeição máxima, ao longo das reencarnações, que também são etapas.


Todo mundo sabe que muitos estão juntos, mas não estão verdadeiramente casados, pois casamento é a união permanente de dois seres, masculino e feminino, vinculado na afeição mútua, que é sentimento próprio dos seres maduros.


Ontem, mais o fim de um ciclo aconteceu, no dizer da facilitadora Cláudia. Educação dos Sentimentos não apenas se juntou com Filosofia Espírita, mas sim se casaram. Foi uma noite especial, de reflexão, de trato das questões existenciais, experiências vividas por cada um, na elaboração desse livro pessoal, com histórias de felicidades, dores, desafios, movimento, que por conseqüência é depositado na biblioteca da vida, graciosidade de Deus, para o aperfeiçoamento dos seus filhos.


O sentimento é força da vida. A razão também. Essas são as asas da evolução que nos levarão á felicidade, que não está nas coisas ou nas pessoas, sendo, por assim mesmo, conquista interior. Quanto mais equilíbrio íntimo, menos gravidade na caminhada. Quanto mais próximos do pensamento Crístico, menos peso nos fardos e mais felicidade interior.


Nós vivemos em um mundo atrasado moralmente, espiritualmente, mas que já foi pior, sendo uma fase intermediária, para o mundo de regeneração, que está batendo as nossas portas. Muitos espíritos, nossos irmãos, não conseguem perceber a vida, ainda. Existem, comem, dormem, bebem, fazem sexo, mas não descobriram o essencial da vida.


Quando entramos em contato com a proposta espírita, vamos pouco a pouco despertando do sono da ignorância. Na realidade, o mal não existe, o mal é o resultado do nosso desconhecimento a respeito da vida, que sempre segue, após a morte do corpo físico, que está acontecendo nesse momento, enquanto eu escrevo essas mal traçadas linhas e enquanto o leitor as lê.


No próximo dia 08 de janeiro, de 2015, no Centro Espírita Jesus de Nazaré, em plena véspera de alegria, na cidade de Itaporanga, que estará comemorando 150 anos de existência, daremos início a mais uma etapa de aperfeiçoamento. Vamos desenvolver a razão e o sentimento, as duas asas que nos levam a Deus. 


O convite está aberto, pois entender o que é a vida, para viver é essencial é de suma importância.  E vamos enterrando pouco e pouco, o automatismo da existência, que nos transformam em sonâmbulos da caminhada.


FELIZ NATAL!

FELIZ ANO NOVO!

“Que ouçam aqueles que têm ouvidos de ouvir. Que vejam aqueles que têm olhos de ver.


PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO

www.pensenisso.itaporanga.net


quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

MPF denuncia Nabor Wanderley por falsidade ideológica e outros ‘crimes’

Ex-prefeito teria usado atestado falso para se livrar de audiência na Justiça Federal



O Ministério Público Federal (MPF) em Patos (PB) denunciou, na última sexta-feira (12), o ex-prefeito de Patos, Nabor Wanderley, por ter apresentado atestado médico falso para se esquivar de audiência judicial. A denúncia também inclui o médico Denilson Pereira de Alencar e a gerente administrativa da Secretaria de Saúde do município, Maria Elba de Medeiros Finizola, por praticarem falsidade para encobrir a conduta criminosa. Ainda na sexta-feira, foi ajuizada ação de improbidade administrativa contra os três demandados em razão das condutas ilícitas praticadas.

O fato ocorreu em 18 de novembro de 2013, quando o advogado do ex-prefeito apresentou o falso atestado no início de audiência judicial em ação de improbidade administrativa que tramita na 14ª Vara da Justiça Federal. No atestado, o médico Denilson Pereira de Alencar declarou que Nabor Wanderley deveria permanecer afastado de suas atividades laborativas por um período de dois dias, contados a partir de 18 de novembro de 2013. O atestado também informava que Nabor Wanderley tinha sido atendido às 7h da manhã daquele dia, na Unidade de Saúde da Família (USF) Roberto Ôba, localizada na periferia da cidade de Patos. A audiência estava marcada para as 09h00 do mesmo dia.

Ao desconfiar de possível manobra do ex-prefeito para atrapalhar a marcha processual, o Ministério Público Federal solicitou que o réu apresentasse o relatório de atendimento médico com a descrição da enfermidade sofrida e os procedimentos adotados pelo médico que subscreveu o atestado, além do receituário eventualmente indicado. O réu apresentou a ficha de atendimento ambulatorial e causou estranheza o fato de Nabor Wanderley constar nela como sendo a última pessoa atendida na manhã do dia da audiência, apesar da declaração do atestado médico informar que o atendimento teria ocorrido às 7h.

Diante desses indícios, o MPF instaurou procedimento para investigar possíveis condutas ímprobas e criminosas praticadas e constatou que as fichas dos atendimentos realizados na Unidade de Saúde da Família Roberto Ôba, em 18 de novembro de 2013, haviam sido adulteradas para se acrescentar o nome do ex-prefeito. Ao confrontar documentos solicitados aos réus com documentos obtidos através de mandado de busca e apreensão, percebeu-se claramente a modificação posterior para incluir o suposto atendimento ao ex-prefeito.

Perfil divergente - Funcionários da USF Roberto Ôba, ouvidos pelo MPF, todos, de modo unânime, responderam que não presenciaram nem souberam notícias de que Nabor Wanderley teria sido atendido na referida Unidade de Saúde no dia em que faltou à audiência. Os funcionários apontaram, inclusive, o descabimento da possibilidade desse atendimento, diante da grande divergência entre o perfil socioeconômico dos pacientes atendidos na USF Roberto Ôba e o perfil ostentado por Nabor Wanderley que, além de ex-prefeito da cidade, é candidato eleito ao cargo de deputado estadual. É que a USF está localizada numa região onde residem pessoas extremamente carentes. Pessoas pertencentes à linha de pobreza. A unidade de saúde está cinco quilômetros distante da residência do ex-prefeito.

O falso atestado - Ao dar o atestado fraudulento, o médico Denílson Pereira de Alencar praticou conduta criminosa prevista no artigo 302 do Código Penal, por ter emitido atestado falso em favor do ex-prefeito. Ao alterar a ficha de atendimento ambulatorial, cometeu o crime de falsificação de documento público (artigo 297 e § 1º, do Código Penal), e, por fim, quando auxiliou e participou da produção da informação falsa por parte da servidora municipal Maria Elba de Medeiros Finizola, o médico incorreu no crime de falsidade ideológica, previsto no artigo 299, do Código Penal.

O falso paciente – Já o ex-prefeito Nabor Wanderley encontra-se incurso nos crimes de uso de documento falso, por ter utilizado atestado falso (artigo 304, do Código Penal) para eximir-se de comparecer à audiência judicial; falsificação de documento público, por ter comandado e participado da alteração da ficha de atendimento ambulatorial (artigo 297, do Código Penal) e falsidade ideológica, por ter determinado a produção da informação falsa por parte de Maria Elba de Medeiros Finizola (artigo 299, do Código Penal).

A servidora conivente – Por sua vez, a servidora Maria Elba de Medeiros Finizola, numa clara tentativa de encobrir as condutas criminosas cometidas por Nabor Wanderley e Denílson Pereira, enviou, sob o comando deles, documento ao MPF com a falsa informação de que no Boletim de Produção Ambulatorial constava descrita uma quantidade de atendimentos diferente da quantidade real. Dessa forma, a servidora produziu documento com declarações falsas. A pena para esse crime é de reclusão, de um a cinco anos, e multa, se o documento é público. Se o agente é funcionário público e comete o crime prevalecendo-se do cargo, aumenta-se a pena de sexta parte.

Improbidade administrativa - Os três denunciados também foram demandados por ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública, violando assim os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade, e lealdade às instituições (artigo 11 da Lei 8.429/92). Para o Ministério Público Federal, os demandados quebraram o respeito à moralidade administrativa, que é exigido de todo aquele que atuar perante a administração pública. “A moral administrativa liga-se à ideia de probidade e boa-fé, de tal modo que o servidor público jamais poderá desprezar o elemento ético de sua conduta, assim, não tem que decidir somente entre o legal e o ilegal, mas, precipuamente, sobre o honesto e o desonesto”, argumentou o MPF, citando o Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil.

As penas previstas para os três demandados são perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos, pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos.
MaisPB 

Faça o Bem. Ele nos traz bem.

Brasil tem 16,4 milhões de voluntários. É pouco

voluntariadoPor André Trigueiro
A mais recente pesquisa sobre voluntariado no Brasil revelou que apenas 3 em cada 10 brasileiros já realizaram alguma ação voluntária na vida. Entre os que jamais doaram parte do tempo ou energia em benefício de alguma obra ou projeto, o principal motivo alegado para isso é "falta de tempo" (40%), "nunca foram convidados" (29%), "nunca pensaram nessa possibilidade" (18%) e "não sabem onde obter informações a respeito" (12%).

A pesquisa também mapeou o (des)interesse dos mais jovens pelo assunto. Oito em cada 10 jovens brasileiros (16 a 24 anos) jamais se envolveram com voluntariado. O que estaria por trás desse número? Falta de apoio dos pais, das escolas e universidades? Por que a cultura da solidariedade (e a mão de obra voluntária é a expressão mais contundente dessa capacidade de sermos solidários uns com os outros) encontra-se tão distante das novas gerações de brasileiros?

Apenas para registro: é curioso observar que o "tempo" que falta para ser voluntário parece estar sobrando para longas imersões nas redes sociais com trocas frenéticas de textos e imagens, em sua maioria, absolutamente desimportantes, efêmeros, descartáveis. O fascínio crescente da juventude (e de muitos adultos também) por essas novas ferramentas tecnológicas que promovem espetáculos virtualizados de comunicação nos impede de estabelecer contato real com outras realidades que teriam muito a nos ensinar. E isso fica claro a partir do depoimento de quem exerce alguma atividade voluntária (sem necessariamente abrir mão das redes sociais, bem dito).

Apenas 11% dos brasileiros realizam hoje alguma atividade voluntária. São 16,4 milhões de pessoas que se doam – sem remuneração – em prol de alguma obra ou projeto. Qual é a recompensa? "Sensação de bem estar" foi a primeira razão apontada pelos entrevistados. "Sentir-se útil" foi a segunda e "gratificação pessoal", a terceira.

Em outro momento da pesquisa evidencia-se o altruísmo dessas pessoas, e o desejo sincero delas em transformar o mundo num lugar melhor e mais justo. Quando indagadas a explicar por que são voluntárias, as principais respostas foram: "vontade de ser solidário" (55%) e "influência de pessoas e instituições" (18%).

Encomendada pela Fundação Itaú Social ao Instituto Datafolha, a pesquisa ouviu 2.024 pessoas em 135 municípios e foi divulgada na última sexta-feira (5), Dia Internacional do Voluntariado. A própria Fundação reconhece os benefícios indiretos do fomento ao voluntariado no ambiente de negócios, ao apontar as ações sociais como uma "forma de aprimorar competências como o trabalho cooperativo e a liderança".

Invariavelmente, os voluntários enfrentam realidades adversas e lidam com poucos recursos para atender a muitas necessidades. Essas são as condições ideais para o desenvolvimento de habilidades específicas cada vez mais valorizadas pelas organizações.

É sabido também que muitos empresários já incorporaram às rotinas de recrutamento e seleção de novos estagiários ou funcionários uma investigação nos conteúdos das redes sociais dos candidatos que revele aspectos da vida pessoal que não aparecem nos currículos. Uma informação que costuma contar pontos é se o pretendente à vaga disponível já se engajou em alguma atividade voluntária.

Não é possível imaginar um país justo, que consiga alcançar a condição de desenvolvido no sentido mais amplo do termo, sem a cultura do voluntariado. Nenhum governo em qualquer lugar do mundo consegue resolver sozinho todos os problemas. Por maior que seja a soma dos impostos, a sofisticação da máquina pública ou a eficiência dos servidores, a complexidade dos problemas exige mobilização da sociedade e a organização de frentes de trabalho voluntário.

Por exemplo: dá para imaginar o que seria de boa parte dos alcoólatras espalhados pelo Brasil na escala dos milhões sem a preciosa ajuda do AA (alcoólicos anônimos)?

Em um país como o Brasil, onde o suicídio é considerado caso de saúde pública, qual seria a situação hoje se os voluntários do CVV (que realiza um serviço gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio) não atendessem voluntariamente a aproximadamente 1 milhão de ligações por ano (uma ligação a cada 40 segundos)?

São tantas as causas urgentes do Brasil que fica difícil enumerar todas as instituições (religiosas, educacionais, ambientalistas, esportivas, de saúde, de inclusão social, de combate ao preconceito etc.) que fazem a diferença graças ao precioso auxílio dos voluntários.

O principal beneficiado, como a própria pesquisa confirma (e os voluntários já sabem), são aqueles que se doam.
E aí, se animou?
Vamos fazer a nossa parte?

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Após diplomação, Ricardo anuncia fusão e corte de secretarias

Governador vai conceder coletiva segunda, mas não divulgará nomes de novos auxiliares

                                 

O governador reeleito Ricardo Coutinho (PSB) anunciou, no início da noite desta quarta-feira (17), após a solenidade de diplomação dos candidatos eleitos e reeleitos nas últimas eleições estaduais, durante solenidade no Teatro Paulo Pontes, no Espaço Cultural, em João Pessoa (PB), que irá fundir secretárias e acabar com outras para enxugar a máquina pública estadual no seu próximo governo.

Ricardo revelou que irá convocar uma entrevista coletiva na próxima segunda-feira (22) para anunciar mudanças na estrutura organizacional do Estado.

“Segunda-feira que vem pretendo fazer uma coletiva para anunciar a estrutura do Estado e não os novos auxiliares. Vou fundir órgãos, acabar secretárias. Vou enxugar a nossa máquina, para tornar o estado mais ágil. É possível fazer isso”, afirmou.

Discurso

Já no seu discurso, durante a diplomação, Ricardo destacou as dificuldades enfrentadas durante a campanha, que, segundo ele, foi uma das mais pobres da história política da Paraíba. “Tive que subir em carroceria de caminhão. Quando chegava às cidades não tinha sequer material de campanha, só tinha cartazes do candidato da oposição, mas graças Deus a população entendeu minha proposta e saímos vitoriosos do pleito”, disse.

“Esse é um dia muito especial para mim, nestes vinte anos de militância tive a honra de voltar a subir em carroceria de caminhão. Na essência, quando a gente entra numa caminhada como essa, muitas vezes profundamente desigual, a gente sabe que só com a paixão de muita gente numa proposta. Quero agradecer a minha militância, que transformou um sonho em realidade, o impossível nessa realização”, acrescentou.

Ricardo também criticou o processo de ‘judicialização’ das eleições, o sistema eleitoral vigente no Brasil e cobrou a participação popular nas discussões em torno do projeto de reforma política.

“Nós que fazemos política precisamos colocar esse tema na mesa. Todos sabem como é difícil uma disputa. Esse modelo está falido. Esgotou. É preciso reoxigenar a democracia representativa, a democracia que nos traz aqui, a democracia que tem capacidade de fazer o povo a ter melhores condições. A política é a grande ponte entre a necessidade e a realização do sonho, estamos perdendo terreno ao longo dos anos. Estamos tendo eleições cada vez mais judicializadas. A política está deixando de ser a arte, não me refiro a Paraíba, que viveu um pleito tranqüilo, com naturalidade, mas sim a todo o Brasil”, afirmou.   

Cristiano Teixeira - MaisPB

PB: No Sertão, governador revela que sabia da traição de Cássio, diz que não vende a alma para ganhar voto e confessa mágoas de traíras

Ricardo Coutinho disse que não teve medo de perder as eleições."Para ganhar ou perder eu governo da forma que acredito”.  

Do Diário do Sertão

Ricardo Coutinho em entrevista ao DS
No Sertão, o governador Ricardo Coutinho (PSB) falou com exclusividade a TV Diário do Sertão. Sobre sua vitória, o socialista assegurou que há uma mudança no eleitorado brasileiro, mas poucos políticos estão percebendo.
Para alfinetar seu principal adversário no Estado da Paraíba, o candidato derrotado nas eleições deste ano, Cássio Cunha Lima (PSDB), o governador disse que os políticos ainda estão com mentalidade de três décadas passadas. “Percebi essa mudança e apostei nela. Firmei um estilo de fazer política fazendo muitas coisas que não concordava e que a população também não concorda”.
Perguntado se em algum momento ficou temeroso a uma possível derrota, ele respondeu: “Não sou de ter medo. Sou muito determinado. Para ganhar ou perder governo da forma que eu acredito”.
Ricardo Coutinho afirmou que não é capaz de vender a “alma” para ganhar voto e disparou: “Se for para fazer coisas que não acredito para ganhar votos eu não faço”
Um Não
O chefe do executivo estadual destacou que não tem problema em dizer um não quando não é possível realizar algo, pois é uma questão de respeito pelo outro. “A pessoa que escuta um não pode até não entender, mas vai reconhecer que fui honesto, que não procurei iludir nem enganar”.
Traíra
Ricardo Coutinho declarou que não traiu ninguém na sua história política, mas foi traído, e se referindo ao senador Cássio, revelou: “Sabia do rompimento da aliança, mas segurei até o final. Segui o meu caminho”.
Mágoas
Mesmo afirmando não guardar mágoas dos traidores, o governador disse que acredita na ética dentro da política. “A política tem que ter um nível mais elevado. Enfrentei uma campanha difamatória”.
Blog do Tião Lucena

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

A LINGUA

PENSE NISSO! MAS PENSE ANDRÉ LUIZ
A LINGUA
................................................................................
A Lingua
Não obstante pequena e leve, a língua é, indubitavelmente, um dos fatores determinantes do destino das criaturas,
Ponderada – favorece o juízo.
Leviana – descortina a imprudência.
Alegre – espalha otimismo.
Triste – semeia desânimo.
Generosa – abre caminho à elevação.
Maledicente – cava despenhadeiros.
Gentil – provoca reconhecimento.
Atrevida – traz a perturbação.
Serena – produz calma.
Fervorosa – impõe a confiança.
Descrente – invoca a frieza.
Bondosa – ajuda sempre.
Cruel - fere implacável.
Sábia – ensina .
Ignorante – complica.
Nobre – tece o respeito.
Sarcástica – improvisa o desprezo.
Educada – auxilia a todos.
Inconsciente – gera amargura.
Por isso mesmo, exorta JESUS:- “ Não procures o arqueiro nos olhos do teu irmão, quando trazes uma trave nos teus”.
A língua é bússola de nossa alma, enquanto nos demoramos na Terra. Conduzamo-la na romagem do mundo para a orientação do Senhor,
porque, em verdade, ela é a força que abre as portas do nosso coração às fontes luminosas da vida ou às correntes escuras da morte.
(André Luiz- Chico Xavier)

CHÁ MILAGROSO PARA RINITE


A rinite é uma inflamação da mucosa nasal de origem alérgica.

 Trata-se de uma resposta do organismo a alguma substância nociva que o nariz detesta.

 O nariz, além de porta de entrada para o ar, também é um órgão fiscalizador: quando os neurônios sensitivos nasais percebem que alguma substância química pode ser perigosa para o corpo, eles agem imediatamente provocando irritação ou entupimento das fossas nasais, com maior frequência de espirros e um volume maior de secreção.

 A receita do chá

Pela manhã, em jejum, ferva um litro d’água em panela de vidro ou inox.

Desligue o fogo e acrescente uma folha de eucalipto (da fininha) mais duas folhas de amora.

Tome esse chá durante o dia e sempre nos momentos de crise.

Os espirros vão parar, além do catarro, e você vai poder levar uma vida normal.

- www.curapelanatureza.com.br/

Como arrumar um emprego com 14 dicas simples


14 atitudes positivas para você sair da fila do desemprego
Ser demitida não é sinônimo de incompetência – faz parte da realidade de qualquer profissional. Mas dar a volta por cima, em tempos de desemprego bravo como os que estamos vivendo, é uma prova de força de vontade e jogo de cintura. Confira algumas dicas para você se recolocar no mercado de trabalho.

1. A primeira coisa é revisar seu currículo. Aproveite esse momento de transformações e direcione sua vida para o que você realmente quer.

2. Ativar sua rede de contatos é uma atitude extremamente importante.

3. Pesquisas comprovam que a maioria das posições são preenchidas por meio do boca-a-boca: contate amigos, colegas e ex-colegas.

4. Quais setores têm vagas? Informe-se com colegas, sites na internet, firmas de consultoria.

5. Visite as home pages de sites das empresas na internet, à procura de cargos vagos.

6. Se você procura cargo executivo, esqueça os classificados. Eles funcionam somente para empregos de nível técnico.

7. Para quem está fragilizada com a demissão, procurar uma empresa de consultoria e recolocação é um bom caminho. Lá encontrará apoio psicológico e o contato com o mercado.

8. Inclua urgentemente seu currículo num site especializado em recolocação de profissionais. Entre os serviços disponíveis, ali você pode acionar um consultor virtual, que responderá às suas dúvidas – entrevista ou currículo entre outras.

9. O currículo para a internet merece cuidados especiais, pois, ao contrário do modelo convencional, esse deve ser resumido, ter palavras-chaves em destaque: como cursos, idiomas, experiência.

10. Erros de português são imperdoáveis e causam péssima impressão aos futuros empregadores.Revise tudo.

11. Na entrevista, exemplos práticos de coisas que você fez pesam muito mais que a teoria. Lembre-se disso e prepare-se para citar aquele projeto que teve a sua participação, por exemplo.

12. Se não entender bem a pergunta, não hesite em ser franca e peça para repetir.

13. Pesquise a empresa em questão. Sentir que você também escolhe fortalece a auto-estima.

14. Jamais tire férias ao ser desligada da empresa. Embora muita gente faça isso, porque vem de um ritmo puxado de trabalho, o momento não é propício.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Após perder padrinho político, Nonato agora corre o risco de perder comando do PPS caso articulação se consolide


Não bastasse a perda de seu principal padrinho político – o ex-prefeito Luciano Agra (PEN), que faleceu na última semana vitima de um AVC hemorrágico -, o vice-prefeito de João Pessoa, Nonato Bandeira (PPS), agora corre o risco de perder o comando do PPS na Paraíba caso uma articulação que visa fundir o partido com outras três legendas se consolide.

Em âmbito nacional, o PSB, o PPS e o Solidariedade começam a discutir uma fusão que pode resultar no terceiro maior partido da Câmara, com 59 parlamentares ( PSB elegeu 34 deputados, o Solidariedade, 15, e o PPS, 10). A nova legenda faria oposição ao governo da presidente Dilma Rousseff e teria como principal objetivo viabilizar uma alternativa política no país à polarização entre PT e PSDB.

Informações repassadas à reportagem do PB Agora dão conta que a fusão pode ainda contar apenas com PPS, PV e Solidariedade, excluindo o PSB, já que parte do partido ainda apóia a petista. Diante de um cenário de incerteza para a legenda, os socialistas desistiram dos planos de ampliar o partido.

Na Paraíba, quem comandaria esse novo bloco de forças não seria nem Nonato (presidente do PPS), nem Sargento Denis (presidente do PV), mas sim o deputado federal Benjamin Maranhão (SD), que é o único dos quatro partidos que detém a titularidade de um mandato na Câmara dos Deputados.

Enfraquecido politicamente, o vice prefeito de João Pessoa, Nonato Bandeira, que abraçou o projeto de Cássio Cunha Lima (PSDB) nas últimas eleições e que rompeu politicamente com o governador Ricardo Coutinho (PSB) estaria na torcida para que o presidente nacional do PPS, Roberto Freire, não acate a fusão e assim ele não venha a perder as rédeas da legenda no Estado.

Para piorar a situação, Nonato disputou uma das vagas na Assembleia Legislativa da Paraíba nas eleições de 2014, mas obteve apenas 10.378 votos.


FUSÃO EM XEQUE


Há um entrave, porém, para as negociações: a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que proíbe deputados de outros partidos de migrarem para legendas oriundas de uma fusão. Pela súmula em vigor, somente parlamentar das siglas que se fundiram poderiam mudar de agremiação sem colocarem em risco seus mandatos.

Essa não é a primeira vez que o PPS alimenta a tese de fusão. Em 2013 foi ventilada a possibilidade de o partido se fundir com o PMN, mas a tese foi abortada.


PARTIDOS JÁ CRIARAM BLOCO DE OPOSIÇÃO

Líderes de PSB, PPS, PV e Solidariedade fecharam acordo em almoço na última quarta-feira (09), em Brasília, para criar uma frente parlamentar de oposição no Congresso Nacional.

Eles devem oficializar a candidatura do deputado Julio Delgado (PSB-MG) para disputar a presidência da Câmara.

O novo bloco reunirá 67 representantes na Casa, bancada equivalente à do PMDB, o segundo maior partido, com 66 deputados – o PT elegeu setenta.

A nova Frente de Oposição será oficializada na próxima terça-feira e marca a escolha de uma posição mais animatagônica do PSB e do PV em relação ao governo Dilma Rousseff – os dois partidos pregavam postura independente.

O grupo ainda pretende atrair PSDB e DEM em apoio à candidatura de Delgado. (Felipe Frazão, de São Paulo)  

PB Agora

Liberação da maconha medicinal pode acontecer antes do ano novo

A expectativa é de pais que, desde o início de 2014, cobram urgência na mudança das normas, já que seus filhos sofrem tipos graves de epilepsias e podem ser beneficiados por medicamentos à base da Cannabis sativa.


O uso medicinal da maconha pode ser regulamentado no Brasil antes da virada do ano. A expectativa é de pais que, desde o início de 2014, cobram urgência na mudança das normas, já que seus filhos sofrem tipos graves de epilepsias e podem ser beneficiados por medicamentos à base da Cannabis sativa. A pressão já garantiu maior agilidade nas autorizações especiais e na liberação da prescrição por algumas especialidades médicas. Mas a lista de demandas continua grande, pois a burocracia e a desarticulação entre os órgãos ainda posterga o acesso a uma esperança de melhora.

Para o ano que vem, a novidade é que eles se organizaram: ontem, foi oficialmente criada uma associação brasileira para reunir pais e usuários da maconha medicinal. Isso porque, de um tema até então esquecido do debate público, hoje é opção de tratamento para cerca de 500 famílias no país, segundo estimativa do psiquiatra Antonio Zuardi, pesquisador do potencial terapêutico da erva e palestrante da última edição dos Encontros O GLOBO.

— Em 1980, o grupo do pesquisador Elisaldo Carlini fez o primeiro estudo em pacientes resistentes a tratamentos habituais de epilepsia. Mas ele ficou esquecido todo este tempo e foi redescoberto recentemente por famílias de crianças com crises epilépticas graves — lembrou Zuardi, professor Psiquiatria da USP de Ribeirão Preto, durante evento na Casa do Saber O GLOBO.

REUNIÃO EM BRASÍLIA É EXPECTATIVA

Uma das definições mais aguardadas é a reclassificação, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do canabidiol (CBD), presente na maconha. Da lista de substâncias proibidas, ele passaria a ser de uso controlado. Na prática, isso garantiria que os pais pudessem importar produtos com CBD sem a necessidade de autorizações especiais.

Na próxima quinta-feira, haverá uma reunião pública da diretoria colegiada da Anvisa, em Brasília, para avaliar a reclassificação do CBD. A primeira ocorreu em 29 de maio, mas não teve resultado prático.

— Vou a Brasília porque, enfim, a Anvisa deverá reclassificar o CBD — anima-se Maragerete Brito, mãe de Sofia, portadora de CDKL5, doença rara que tem como um dos sintomas crises de epilepsia, as quais foram reduzidas à metade após a importação clandestina do produto. — Estamos tendo avanços porque a pressão social tem sido muito forte.

Hoje, já é possível ter autorização, em caráter excepcional, para importação do produto. Segundo a Anvisa, de 297 pedidos, 238 foram aprovados. Um dos entraves, no entanto, é que, para conseguir essa autorização, é preciso ter uma prescrição médica. Como se trata de substância proibida, são poucos os que aceitam fazer a receita. Foi por isso que, na quinta-feira, o Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou resolução autorizando a prescrição — no entanto, apenas por algumas especialidades médicas (psiquiatria, neurocirurgia e neurologia), em casos de epilepsias que não respondam a tratamento convencional e a menores de 18 anos. O que era para ter resolvido um impasse acabou recebendo críticas.

— O conselho perdeu uma ótima oportunidade de estar mais perto dos pacientes. A resolução é uma decepção, é absolutamente restrita — cobra o cirurgião oncológico Leandro Ramires, cujo filho, Benício, de 6 anos, sofre de síndrome de Dravet. — As instituições precisam se articular e definir uma regulamentação.

Ramires se refere à Anvisa e ao CFM, mas também à Receita Federal, já que um dos entraves é a liberação do produto na alfândega. Um dos casos é de Júlia Merquior, mãe de Helena, de 8 anos, que sofre de epilepsia refratária. Ao tentar importar um produto com CBD, que custaria US$ 100, lhe foi cobrada a cifra de R$ 11.468,97 pela empresa do serviço de remessa. Com a Receita Federal ela sequer conseguiu contato direto.

— Não pudemos pagar a quantia, então o produto não foi liberado. Com esse dinheiro, poderia ir até os EUA e voltar com o remédio — reclama Júlia, que revela que a filha reduziu o número de crises em 50%.

Quando questionada sobre as dificuldades de pais com relação ao CBD, a Receita apenas responde enviando a lista de regras padrões de importação de medicamentos e suas taxas correspondentes, sem sequer citar a substância em questão.

Enquanto as instituições demoram a tomar decisões e discutir como lidar com essa demanda, as pesquisas científicas com a cannabis, muitas das quais brasileiras, avançam velozmente. Há diversos estudos com CBD revelando seu potencial para reduzir sintomas ou tratar distúrbio do sono, fobia social, epilepsia grave, psicose, mal de Parkinson etc.

Hoje, já é possível ter autorização, em caráter excepcional, para importação do produto. Segundo a Anvisa, de 297 pedidos, 238 foram aprovados. Um dos entraves, no entanto, é que, para conseguir essa autorização, é preciso ter uma prescrição médica. Como se trata de substância proibida, são poucos os que aceitam fazer a receita. Foi por isso que, na quinta-feira, o Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou resolução autorizando a prescrição — no entanto, apenas por algumas especialidades médicas (psiquiatria, neurocirurgia e neurologia), em casos de epilepsias que não respondam a tratamento convencional e a menores de 18 anos. O que era para ter resolvido um impasse acabou recebendo críticas.

— O conselho perdeu uma ótima oportunidade de estar mais perto dos pacientes. A resolução é uma decepção, é absolutamente restrita — cobra o cirurgião oncológico Leandro Ramires, cujo filho, Benício, de 6 anos, sofre de síndrome de Dravet. — As instituições precisam se articular e definir uma regulamentação.

Ramires se refere à Anvisa e ao CFM, mas também à Receita Federal, já que um dos entraves é a liberação do produto na alfândega. Um dos casos é de Júlia Merquior, mãe de Helena, de 8 anos, que sofre de epilepsia refratária. Ao tentar importar um produto com CBD, que custaria US$ 100, lhe foi cobrada a cifra de R$ 11.468,97 pela empresa do serviço de remessa. Com a Receita Federal ela sequer conseguiu contato direto.

— Não pudemos pagar a quantia, então o produto não foi liberado. Com esse dinheiro, poderia ir até os EUA e voltar com o remédio — reclama Júlia, que revela que a filha reduziu o número de crises em 50%.

Quando questionada sobre as dificuldades de pais com relação ao CBD, a Receita apenas responde enviando a lista de regras padrões de importação de medicamentos e suas taxas correspondentes, sem sequer citar a substância em questão.

Enquanto as instituições demoram a tomar decisões e discutir como lidar com essa demanda, as pesquisas científicas com a cannabis, muitas das quais brasileiras, avançam velozmente. Há diversos estudos com CBD revelando seu potencial para reduzir sintomas ou tratar distúrbio do sono, fobia social, epilepsia grave, psicose, mal de Parkinson etc.

O Globo

Dois guardas de Conceição foram presos quando apresentavam atitudes suspeitas em Boa Ventura; com eles a PM encontrou duas facas e uma pistola de brinquedo


Através de uma denúncia anônima, o policiamento do Destacamento da cidade de Boa Ventura, chegou aos irmãos Cícero Geraldo da Costa e Francisco Geraldo da Costa, 45 e 46 anos respectivamente, naturais da cidade de Conceição (PB).

Trajados de guardas noturnos, os irmãos apresentavam atitudes suspeitas por volta das 13h deste domingo (14), próximo a um supermercado que fica as margens da Rodovia PB-386, daí que surgiu a denúncia e a PM iniciou a diligência.

(Arma de brinquedo foi apreendida)

Quando os policiais alcançaram à dupla, eles já estavam na altura do Sitio Malhada Grande, em frente à empresa têxtil Itatex, em Itaporanga, local onde também aconteceu a abordagem que terminou na apreensão de duas facas peixeiras e uma pistola de plástico.

Levados para a Delegacia de Polícia Civil, os dois irmãos disseram que estariam a caminho de um campo de futebol em Itaporanga, onde teriam sido contratados para fazer a segurança de um torneio.

Os conceiçãozenses são muitos conhecidos na cidade e não tinham passagens policia. Eles assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência e em seguida foram liberados.

DiamanteOnline

Que Lula que nada...o cara se chama José Mujica

Por Aldo Ribeiro

Assisti no último domingo à uma entrevista muito bacana do presidente do Uruguai, José Mujica. Um cara de mente privilegiada. Ele é um tipo de "Lula do Uruguai", mas com algumas diferenças fundamentais:
- Ele vive com simplicidade e rejeita os benefícios da presidência;
- Ele apoiou a pioneira legalização da maconha em seu país, e pra quem não concorda, é bom se aprofundar no tema e saber o porque o mesmo é a favor;
- Em 2013, Mujica assinou a lei que transformou o Uruguai a ser o segundo país da América Latina (depois da Argentina) a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Outro tema espinhoso, mas que ele argüiu com uma simplicidade definitivamente humana;
- Ele não tem medo de bater de frente com os abusos de grandes corporações, como deixa evidente a batalha épica de seu governo contra o gigante do tabaco norte-americano, Philip Morris:
- Ele apoiou a legalização do aborto no Uruguai (seu antecessor havia vetado a lei). Eu particularmente sou a favor;
- Ele é um ambientalista tentando limitar a necessidade do consumo;
- Ele tem focado na redistribuição da riqueza nacional, alegando que sua administração reduziu a pobreza de 37% para 11%;
- Ele se ofereceu para receber os detentos libertados de Guantánamo;
- Ele se opõe à guerra e ao militarismo;
A influência de Pepe Mujica vai muito além de ser o líder de um pequeno país de 3 milhões de pessoas. Em um mundo faminto por alternativas, as inovações que ele e seus colegas estão promovendo colocaram o Uruguai no mapa como uma das governanças progressistas e criativas mais empolgantes. Era essa a esquerda que me fazia lutar pelas causas perdidas, mas...paciência. Partidos hoje, infelizmente são instituições falidas e cada vez mais descrentes perante a sociedade civil. Esquerda e direita, não passam de idealismos absolutistas idiotamente delimitados por uma fronteira imaginária e caduca, onde cada um dos lados se acha 100% dono da razão num mundo cada vez mais macro e menos micro. Duas verdades mentirosas que arreganham perigosamente um abismo com viés de ódio e intolerância. 
É tempo de se refletir a vida como ela é, o mundo em que vivemos...repensar nossas posições por vezes irredutíveis...reinventar-se permanentemente.
Ah, só à título de informação, o Uruguai é um dos países economicamente mais desenvolvidos da América do Sul, e o 1° em qualidade de vida/desenvolvimento na América Latina, quando a desigualdade é considerada. 

Nova FPF? Amadeu já começa com uma faca no pescoço, porque vai precisar provar que não é o novo do mesmo – Por Laerte Cerqueira


Depois de 25 anos comandando a Federação Paraibana de Futebol e há um tempo afastada, a ex-presidente da FPF, Rosilene Gomes, teoricamente, está de volta à liderança da instituição.

Há quem diga que ela, na prática, é quem vai dar as cartas.

Nesta sexta-feira (12), o candidato gestado por Rosilene à presidência da instituição, Amadeu Rodrigues, foi eleito com 37 votos, dos 70.

No início da disputa, especulou-se que a ex-presidente seria a candidata, mas parece que não pegou bem. Nem por isso, o grupo ficou acanhado e recuou da ideia, apenas mudou a estratégia. Rosilene saiu do “front” e Amadeu foi escolhido para representar a vontade da antiga comandante.

A eleição da FPF, desde o início da formação das chapas, saiu das páginas de esporte e foi parar nas de política. Tudo bem que futebol e política sempre estiveram juntos, mas o enlace nesse episódio é tão grande que provocou essa espécie de confusão editorial. Alguém pode dizer que isso aconteceu porque um dos candidatos era irmão do governador Ricardo Coutinho (PSB) e é um político. Não, talvez a politização não se resume a pessoa de Coriolano Coutinho, que foi derrotado por Amadeu. Cori teve 29 votos.

A política futebolista na eleição da FPF estava nas práticas. Bem parecidas com as disputas comandadas pelos partidos. Difícil, claro, provar qualquer acusação que circulou pelos meios jornalísticos e políticos. Mas essa eleição teria sido marcada por compra de votos, esquemas de pagamento de apoio, negociatas, falsificação de assinaturas e documentos. Como disse, pode ser tudo boato, mas a movimentação denuncia essas práticas e alguns indícios reforçam os “ditos por aí”.

Na madrugada que antecedeu a eleição teve até “confinamento” em hotéis do Litoral Sul. Uma maneira, segundo federados, de evitar a mudança de posição de representantes de clubes profissionais, amadores e ligas, que tinham direito a voto. Um antídoto para a “boca de urna”. Mas por que uma disputa tão grande para ser presidente da FPF?Os números nunca foram declarados, oficialmente, mas a informação dos federados é que o comandante da instituição ganha poder, influência na CBF, um salário de mais de R$ 15 mil e uma ajudinha de custo de R$ 100 mil.

Benefícios à parte, Amadeu foi eleito pelo voto dos filiados. É um avanço depois de um quarto de século de “despotismo”. Independente da relação com a ex-presidente, esperamos mais futebol, mais profissionalismo, menos conversa, menos política. Esperamos equipes mais competitivas e o fortalecimento do nosso futebol profissional, amador e dos campeonatos. Amadeu já começa com uma faca no pescoço, porque vai precisar provar que não é o novo do mesmo.

Tumulto
A eleição ontem foi marcada por tumultos, acusações contra a junta governativa e ameaças de travar a disputa com ações na Justiça.

Saída
Muita gente desconversou, mas não era especulação. A saída do vereador João Almeida foi cantada em verso e prosa. Ele foi substituído por Hidelvânio Macêdo, que agora é o novo secretário da Sedurb.

Técnicas
Hidelvânio respondia pela Secretaria do Orçamento Participativo (OP). O vereador retorna à Câmara Municipal. O prefeito Luciano Cartaxo afirmou que as mudanças foram técnicas, não políticas. Há quem duvide.

Tarefa
De qualquer maneira, Hildevânio é operacional. Anda pela cidade. Não dá para ser responsável pela “organização” das ruas e ficar dentro de um escritório. Mas tem tarefas difíceis. As calçadas do Centro, por exemplo, voltaram a ser dos camelôs.

Agricultura familiar
Aliado, neutro ou oposição, o deputado estadual Frei Anastácio (PT) não larga mão da luta. Disse que vai cobrar do estado uma política mais eficiente para agricultura familiar. Segundo ele, o governo tem de criar condições para o trabalhador produzir para se alimentar, bem como para vender a produção. De acordo com ele, são mais de 11 mil pessoas assentadas à espera de incentivos para colocar a mão na terra.

Peso 
Parece que o cerco está se fechando para a presidente da Petrobrás, Graça Foster. Uma servidora de peso da empresa teria avisado dos esquemas de corrupção, em 2011, e nada foi feito.

Afastamento
Venina da Fonseca, geóloga, tem e-mails que provam os comunicados feitos à direção da Petrobrás. Não vai demorar para as denúncias acabarem em afastamento. As revelações foram feitas pelo jornal Valor Econômico.
Mudança…

O governador Ricardo Coutinho elogiando o deputado estadual Trócolli Júnior (PMDB). Por sua vez, Trócolli com um discurso brando e de apoio aos projetos do governo. Alguém duvida que o jogo virou?

…à vista 
O peemedebista está mais perto das posições do colega Gervásio Maia, que é governista, do que da postura de Raniery Paulino, neutro.

Será 
O STF proibiu o governo de nomear assessores jurídicos para cargos que são de competência exclusiva dos procuradores de carreira do Estado. Será que vai cumprir? O pleno seguiu entendimento do ministro Celso de Mello.

JPB

Sascha Aleksander nua em ensaio da Playboy

A gostosa loira russa, Sascha Aleksander pelada em ensaio da Playboy; veja fotos.

Um ensaio de tirar o fôlego com essa bela loira dos olhos azuis e um corpo cheiro de curvas. Sascha nasceu em  Moscou na Rússia em 1988, portanto 26 anos de muita beleza e completa nudez nesta sessão de fotos. Atualmente a loira gostosa reside em Santa Lúcia na Califórnia. Vejamos o ensaio abaixo: