sábado, 29 de março de 2014

Professor universitário é assassinado junto com a esposa ao sair de festa de casamento na PB

O professor de uma faculdade de Campina Grande Washigton Luís de Meneses, e a esposa dele, Lucia Santana Pereira, foram assassinados a tiros na noite deste sábado (29) no estacionamento de uma casa de recepção daquela cidade que fica a 120 quilômetros de João Pessoa, quando participavam de uma festa de casamento.

De acordo com informações do Comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar, coronel Lívio Delgado, o casal era padrinho dos noivos e quando se dirigia ao carro no estacionamento da casa de festas, teria sido alvo de vários disparos.

(Os  dois morreram no local do crime)

Washington foi atingido com um tiro no pescoço e a mulher com um disparo na cabeça, segundo o relatório policial. Os  dois morreram no local do crime.


Um vigilante da casa de recepções também foi atingido pelos tiros. Ele foi levado para o Hospital de Trauma de Campina Grande pelo Samu e, segundo a polícia, não corre risco de morrer.

Coronel Lívio informou ainda que nenhum pertence do casal foi levado e no banco traseiro veículo das vítimas, a polícia encontrou um revólver calibre 38 com cinco munições intactas. Diligências estão sendo feitas num trabalho conjunto entre as polícias civil e militar para tentar localizar e prender o autor ou autores do duplo assassinato.

A delegada de Homicídios, Tatiana Matos, está investigando o crime.   

Portal Correio

Malhar sem comer queima mais gordura e calorias. Mito ou realidade?


Se não comer antes da atividade física, você queima mais gordura e calorias?

De acordo com a nutricionista Lorraine Matthews-Antosiewicz, de New Jersey (EUA), isso é um mito.

"Você queimará a mesma quantidade de calorias e gordura se você comer ou não antes da atividade física, mas você será capaz de se exercitar mais forte se estiver alimentada”, explica a especialista.

Segundo ela disse em abril do ano passado à revista Women’s Health, pular o lanchinho pré-treino pode diminuir o nível de estamina no seu corpo, bem como sua resistência física, o que expõe a pessoa a um risco maior de lesões.

“Sem contar que fazer exercícios pesados com o estômago vazio pode aumentar a produção do cortisol, hormônio do estresse, que pode levar à quebra dos tecidos musculares, tudo o que alguém que malha não quer que aconteça”, comenta Lorraine.

A sugestão da especialista é ingerir um lanche de até 200kcal antes da ginástica.

O Dr. Pierre Dukan, por outro lado, diz que uma leve prática de atividade aeróbica em jejum, logo após acordar, pode ajudar a pessoa a acelerar o metabolismo e a queima de gordura.

Segundo ele explica no livro “Método Dukan Ilustrado”,  se a pessoa não exagerar na dose e só fizer uma leve caminhada de até 20 minutos, isso pode ser sim benéfico para a dieta.

R7

Itaporanguense foi um dos primeiros sertanejos a migrar para São Paulo

Aos 83 anos, hoje recorda o quanto foi difícil aquele tempo


Por Redação da Folha – Sentado tranquilamente na calçada de casa, na Rua Marta Batista de Moura, centro de Itaporanga, Pedro Alves de Queiroz (foto) canta e assovia as músicas que embalaram seu tempo de mocidade. São canções antigas, tão velhas que as novas gerações desconhecem-nas, como também não sabem que por trás daquele idoso de aparência cândida há uma impressionante história de dificuldades e superação. “Vou embora para nunca mais voltar”, diz trecho da letra de uma das músicas cantadas por ele, mas diferentemente do que diz a canção, Pedro sempre regressou.

O enredo de vida de Pedro Alves, que nasceu no sítio Barrocão, é o de muitos sertanejos do seu tempo, mas poucos tiveram a coragem de enfrentar o mundo como ele. Em meio a imensas agruras e sofrimentos pelas secas terríveis e as terríveis omissões governamentais, foi um dos primeiros itaporanguenses a correr a São Paulo em busca de sobrevivência para a família.

Em 1951, subiu em um pau de arara para uma viagem longa e penosa: 17 dias sobre o banco duro de um caminhão enfrentando estradas de chão batido e a fome, mas chegou lá: foi colher algodão em um lugar conhecido como Paulista Nova, interior de São Paulo. Os sertanejos desembarcavam aos montes na cidade: já eram aguardados e logo levados para as grandes fazendas. “Eram escolhidos pelos fazendeiros como animais”, comenta, ao se queixar também da viagem: “não é brincadeira passar 17 dias rodando em um caminhão só em estrada de terra”.

Um ano depois, regressou a Itaporanga, botou um roçado, e, mais uma vez, perdeu a lavoura pela estiagem. Novamente voltou a São Paulo pela necessidade, desta vez levando a esposa e os filhos pequenos. Foi mais uma temporada no interior paulista.

Antes das duas idas a São Paulo, já havia feito uma viagem para Jurema, no Pernambuco, onde tinham parentes: foi na primeira metade da década de 40. Ainda era adolescente e acompanhou os pais fugindo da seca. Os retirantes enfrentaram centenas de quilômetros a pé, mas sobreviveram.

A fuga da seca também o levou a outro destino: no final da década de 50, migrou com a família à cidade de Irecê, na Bahia, para trabalhar na lavoura do feijão. Foi mais uma retirada difícil, mas necessária pelas graves dificuldades em Itaporanga.

E se não bastasse tanto sofrimento, dois fatos terríveis deixaram marcas ainda mais profundas em sua vida: perdeu a primeira esposa, morta durante um parto, e viu o próprio filho ser assassinado, quando trabalhava em uma propriedade na zona rural de Boa Ventura, por criminosos intencionados a roubar. Ele também foi esfaqueado, mas sobreviveu. Há três anos, perdeu um segundo filho, este vítima de problema cardíaco.

A superação – Alegre e falante, Pedro conseguiu superar todos os traumas que a vida lhe reservou: hoje aos 83 anos e casado com a dona de casa Iracy José de Sousa, mulher também guerreira, vive da aposentadoria rural e de uma ajuda financeira que um dos seus três filhos manda de Brasília. Sempre bem-humorado, conta sem complexo os momentos difícil que viveu: são histórias da vida de um sobrevivente.

Chuvas não mudam cenário da Paraíba e 52 localidades ainda estão em colapso total de água ou enfrentando racionamento

O cenário da seca na Paraíba não mudou mesmo após as fortes chuvas caídas em algumas regiões.

Muitas cidades e localidades ainda estão vivendo a realidade de um colapso total de água e são obrigadas a serem abastecidas por carros-pipa.

Atualmente, de acordo com a Companhia de Água e Esgoto da Paraíba (Cagepa), 20 localidades estão em colapso total.

Outras 32 cidades passam por um racionamento que, por conta da estiagem, não tem previsão para acabar. Conforme a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), 33 reservatórios estão em situação crítica (com apenas 5% da capacidade total), sendo que 14 não possuem sequer uma gota d’água.

De acordo com a assessoria da Cagepa, devido à estiagem e as condições dos mananciais, 20 localidades estão em colapso total e o atendimento à população está sendo feito por meio de carros-pipa, administrados pela Defesa Civil e Exército. São eles: Triunfo, São João do Rio do Peixe, Carrapateira, Montadas, Algodão de Jandaíra, Areial, Taperoá, Emas, Imaculada, Riacho dos Cavalos, Nazarezinho, Riachão, Tacima, Dona Inês e Damião; além dos distritos de Gravatá, Pindurão, Barreiros, Logradouro e Cozinha.

Outras localidades ainda não enfrentam o colapso, mas estão tendo que conviver com o racionamento. De acordo com a Diretoria de Operação e Manutenção da Cagepa, são elas: municípios de Barra de São Miguel, Areia, Umbuzeiro, Remígio, Esperança, Nova Palmeira, Puxinanã, Aroeiras, Gado Bravo, Patos, São Bentinho, São José de Espinharas, São Mamede, Várzea, São José do Sabugi, Quixaba, Cacimba de Areia, Passagem, Areia de Baraúnas, Salgadinho, Santa Luzia, Pilões, Arara, Casserengue, Solânea, Bananeiras, Cacimba de Dentro e Araruna; além dos distritos de São Miguel, Lagoa do Mato, Cepilho e Novo Pedro Velho.

Segundo a Cagepa, o racionamento nessas áreas é feito de acordo com a capacidade e o funcionamento de cada sistema de abastecimento de água. Em Nova Palmeira, por exemplo, o sistema está funcionando a partir do reservatório de Picuí. Nessa localidade a água chega às torneiras durante 24 horas, às terças-feiras e quintas-feiras, e por 12 horas no domingo. O período de adoção de racionamento, conforme a Companhia, será suspenso dependendo a ocorrência de chuvas. 

14 reservatórios estão com 0% da capacidade total
O monitoramento da Aesa revela que 33 reservatórios encontram-se em situação crítica neste momento, ou seja, com menos de 5% do seu volume total. Vinte e nove açudes estão em observação ou com menos que 20% da sua capacidade. Segundo os dados, da Aesa a Paraíba está com 14 açudes completamente secos, com 0% de água. Além disso, temos: um açude com 0,2%, um com 0,6%, um com 1,2%, um com 1,3%, um com 1,5%. Mesmo com as ultimas chuvas o açude do município de Patos está com 7,8% do seu volume total, que está entre os reservatórios em observação com menos de 20% da sua capacidade.

Viviane Carvalho

Neste fim de semana, só fica em casa quem quiser; confira a agenda cultural


Já tem programação para o fim de semana? Ainda não? Então deixe o ClickPB ajudar você. Separamos algumas atrações musicais que agitarão a cidade neste fim de semana. Escolha a que mais lhe agrada e divirta-se!

Em destaque neste sábado, O Grito Rock João Pessoa chega com uma programação diversificada, buscando contemplar as diversas linguagens artísticas. Este ano, 30 bandas se apresentarão em três palcos, sendo eles, o praça do Varadouro, o Pogo Pub e Espaço Mundo.

No sábado, o Palco Varadouro tem Licenciosa (PB), Macumbia (PB), Caixão e Vela Preta (PB), The Honkers (BA) e Zefirina Bomba (PB). Se apresentam no Palco Mundo Incessante (PB), Los Cabras Gigantes (PB), Jubarte Ataca! (RN), Mondo Bizarro (PE) e In The Mood (PB). E completam a programação, no Palco Pogo, Disacusia (PB), Nark (PE), Son Of A Witch (RN), Sob Aviso (PB) e OurangMedan (RN).

Sábado (29)

- No Sabadinho Bom, O violonista Rinaldo Vitorinni e o sambista Beto Malloca vão promover um encontro do chorinho e samba nesta semana com as vertentes musicais que costumam explorar em suas performances. Elementos do latin jazz e flamenco de Paco de Lucia vão cruzar a fronteira com os ritmos brasileiros de Tom Jobim e os arranjos regionais de Hermeto Paschoal.

Endereço: Praça Barão do Rio Branco – Centro; Ingressos: gratuitos. Horário: 11h30



- O Samba Sessions do Chopp Time é animado pela banda Toque de Samba.

Endereço: Avenida Governador Argemiro de Figueiredo, 3835 - Jardim Oceania; Ingressos: R$ 25; Horário: 15h


-  A Revolution Beatles Band faz um tributo aos Beatles no sábado à noite do Chopp Time. Chopp Time

Endereço: Avenida Governador Argemiro de Figueiredo, 3835 - Jardim Oceania; Ingressos: R$15; Horário: 21h



- Sábado na boate Zodíaco tem Ramon Schnayder e Pegada Sertaneja. 

Endereço: Avenida Isidro Gomes, 63 – Tambaú; Ingressos: R$ 35; Horário: 22h


Domingo (30)

- Dorgival Dantas e Lucy Alves são as principais atrações da comemoração de 57 anos de emancipação política do município de Remígio. Noite também terá apresentações de atrações locais. Endereço: Lagoa Park - Centro – Remígio.


Seca provoca pragas de insetos que destroem plantações do Sertão da Paraíba

Apesar de algumas cidades do Sertão da Paraíba terem registrado altos índices pluviométricos nesses três primeiros meses do ano, a situação ainda não animou os agricultores nem as pessoas que moram nas regiões mais secas do estado.

A escassez de chuvas na maior parte árida da Paraíba tem provocado vários outros prejuízos que vão muito além do desabastecimento ou da queda na produtividade agrícola.

A seca e o desequilíbrio ecológico podem ser a causa de uma proliferação de pragas de insetos, como gafanhotos e lagartas, que prejudicam as plantações e a alimentação dos animais utilizados na pecuária.

Uma das áreas que está em situação de alerta devido a intensa presença de gafanhotos é a região de Cajazeiras, a 470 km de João Pessoa.

Esses insetos são capazes de destruir plantações, se alimentando das folhas, situação que é agravada pela falta de chuvas.

De acordo com o agrônomo Edilson Guedes, não existe uma data certa para que a proliferação aconteça, nem um local preciso. “As pragas se manifestam em qualquer região onde existam plantações de milho ou cana-de-açúcar, por exemplo".

O especialista defende que as chuvas são de extrema importância para diminuir a presença dos gafanhotos, por exemplo, de forma que eles não tragam prejuízos, mas lembra que os índices pluviométricos registrados ainda não foram suficientes para amenizar o problema. "A chuva pode ser uma arma no combate, mas em algumas regiões o volume ainda está muito baixo".

Enquanto a chuva não chega, o agrônomo explica que a única forma de combater a praga de gafanhotos de maneira mais rápida é a utilização de produtos tóxicos. "O veneno também vem sendo usado para conter as pragas, através de dedetizações”, disse ele.

A meteorologia é otimista, mas não pode garantir com exatidão que os graves problemas identificados com a seca no Sertão serão resolvidos com as previsões.

Segundo o meteorologista Alexandre Magno, da Agencia Executiva de Gestão das Águas, a perspectiva é de que no Cariri, Curimataú e Sertão chova com mais regularidade, até o final do primeiro semestre de 2014.

Já no Agreste, Brejo e Litoral, os índices podem ser acima das médias históricas.

Portal Correio

Prefeita de Pombal recebe parecer por sua inelegibilidade

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, opinou pela inelegibilidade da prefeita de Pombal, Polyanna Dutra. O parecer foi dado no Recurso Extraordinário nº 758461 ajuizado pela prefeita no Supremo Tribunal Federal (STF), após a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de barrar sua candidatura nas eleições de 2012. O que se discute no processo é se a reeleição de Polyanna representaria um terceiro mandato consecutivo de um mesmo núcleo familiar.

Ela foi casada com Jairo Feitosa, prefeito de Pombal nas eleições de 2004, que veio a falecer no curso do mandato em um acidente automobilístico. Ele foi substituído pelo vice-prefeito Ugo Ugulino Lopes, que na eleição seguinte (2008) disputou contra Polyanna, sendo derrotado por uma diferença de 816 votos. Na eleição de 2012, a prefeita foi reeleita com 50,39% dos votos. Mesmo ganhando as eleições, ela teve o registro indeferido pelo TSE e se mantém no cargo por força de uma liminar concedida pelo STF.

A defesa da prefeita argumenta que o caso dela não se enquadra na hipótese de um terceiro mandato consecutivo do mesmo grupo familiar, já que o marido faleceu um ano e quatro meses antes do término do mandato. Alega ainda que o vice-prefeito foi seu adversário na eleição de 2008, demonstrando não haver qualquer vinculação com o grupo político que um dia foi liderado por seu ex-marido.

Ao dar parecer sobre o caso, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, destacou que a dissolução do vínculo conjugal pela morte do marido não afasta a inelegibilidade, pois haveria a continuidade do mesmo núcleo familiar no terceiro mandato consecutivo. Segundo ele, este foi entendimento do TSE ao negar o registro de sua candidatura. Diz o acórdão do TSE, destacado no parecer do MPF: “a recorrente pôde se candidatar e foi eleita em 2008 porque já era, no caso, uma reeleição do mesmo núcleo familiar; em 2012, seria o terceiro mandato do mesmo grupo familiar, independentemente de uma fatalidade, a morte do cônjuge”.

O Supremo já havia reconhecido a existência de repercussão geral na matéria. O caso tem como relator o ministro Teori Zavascki, que após receber o parecer do Ministério Público, deve levar o processo para julgamento pelo plenário do Supremo Tribunal Federal.

Lenilson Guedes - Jornal da Paraíba 

Agricultor é preso suspeito de matar pescador em luta no Sertão da PB


Dois homens discutiram em um bar e iniciaram uma briga que resultou em morte, na tarde deste sábado (29), em São José de Piranhas, no Sertão paraibano.

De acordo com a polícia, um agricultor foi preso suspeito de matar um pescador. A luta foi apartada após alguns minutos e a vítima passou mal.

(Vítima não suportou a agressão)

O pescador de 40 anos foi levado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o hospital de São José de Piranhas, onde morreu pouco depois. O agricultor de 22 anos foi levado para a cadeia pública da cidade.

Segundo o sargento Reginaldo, da Polícia Militar de São José de Piranhas, eles estavam bebendo em um bar na saída da cidade, por volta das 13h30.

"Eles discutiram e entraram em luta corporal. Isso durou uns três a quatro minutos. O dono do bar e o filho da vítima apartaram a briga. Depois disso ele ficou sem fôlego e sentiu um mal estar, chamaram o Samu e levaram para o hospital, tentaram reanimá-lo, mas ele não resistiu", explicou o policial. O corpo do agricultor foi levado para o Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol) de Patos.

G1

Nadando em dinheiro: Família Gadelha contrata nova pesquisa por 40 mil

O grupo Gadelha, que comanda o PSC no Estado e está em vias de oficializar apoio à provável candidatura do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) ao Governo da Paraíba, vai pagar R$ 40 mil à Empresa 6Sigma, de Campina Grande, por mais uma rodada de pesquisas sobre a sucessão estadual.

A notícia se dá após a divulgação da primeira pesquisa que revelou o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) como primeiro colocado – a da Consult/MaisPB.
A coleta de dados da pesquisa teve início segunda-feira (24) e termina hoje (28). O número de entrevistados é de 2400 pessoas. A metodologia empregada para foi a técnica de coleta direta “Face to Face”, utilizando-se como instrumento de investigação formulário estruturado, levando em consideração a forma de escolha dos participantes da pesquisa como elementos da amostra.

O valor da pesquisa do instituto 6 Sigma é de R$ 40 mil enquanto a pesquisa contratada pelo portal MaisPB custou R$ 20 mil e teve 2000 entrevistados na primeira quinzena de março.

A pesquisa do MaisPB interrogou os paraibanos sobre preferência para Senado e Governo do Estado, ao passo que a próxima pesquisa questiona a preferencia dos eleitores sobre Governo do Estado, Senado, Assembleia Legislativa e Câmara Federal.
Quem vai pagar pelo serviço é a Fundação Pedro Américo, mantenedora da Facisa e da TV Itararé, isto em sociedade com a rádio Campina FM.

Blog do Tião

Vídeo com Dilma em paródia de propaganda do Bom Negócio viraliza na internet


Uma paródia de famosa propaganda do site "Bom Negócio", na qual a presidente Dilma é inserida como um objeto a ser descartado, já atingiu milhões de pessoas na internet.

Na gravação, um discurso de Dilma é interrompido e os atores realizam a venda da atual presidente da República para Fidel Castro, de Cuba.

"Presidenta que não fez quase nada para o país. Tá nova nova", diz o anúncio. 

Folha Política

Imagem do Dia: problemas de trânsito no centro de Itaporanga

Fluxo comprometido


Por Redação da Folha – Começo da manhã deste sábado, 29, na Av. Soares Madruga, trecho sequencial da BR-361, ao lado do mercado público: carros têm dificuldades para passar pelo local em função de veículos mal estacionados, um problema constante na cidade.


Hoje, Me Lembrei do Grande Fernão


Hoje Me Lembrei do Grande Fernão
(Reynollds Augusto)

Mudança de Hábito. Esse é caminho da evolução. Substituição. Substituir o que é ruim pelo que é bom. Andar mais a pé, por exemplo. Pedalar, de bicicleta. Redundante, mas importante. São comportamentos simples e saudáveis que prolongam a nossa a vida física e o melhor dá mais qualidade.

O leitor sabe que nós somos consumidores de química. Dificilmente comemos uma comida saudável, deve ser por isso que as doenças estão em polvorosa e tem para todos os gostos. Habituamos-nos a comer um “cuscuz”, que não tem milho, bolachas crocantes, que não perdem a sua textura, meses e meses nas embalagens de plástico.

E tem as perigosas bolachas “rocheadas”, como diz um amigo meu viciado nesse negócio. Refrigerantes, que são águas pretas, amarelas, verdes e tudo mais, que a mídia diz que são sabores da vida.

E a sardinha hem? Meses a até anos, enlatada, cujo “frescor” é pura química.

E por aí vai...

Nós comemos mal. Mas se desvencilhar disso está cada vez mais difícil. A alimentação natural é coisa para rico. Aqui em casa ainda consigo comer um arroz, milho, feijão, verduras, frutas, galinha, que a sogra traz das bandas de cachoeirinha.

O tal do galeto é hormônio puro. O “bichim” é criado numa prisão, à luz de lâmpadas incandescentes, sob um estresse danado e cresce que parece mágica. Nasce, dorme pinto e amanhece galo. Isso é química e vai para o nosso “bucho”.

Mas Cachoeirinha é “cidade” de primeira, é tão pequena a rua que não dá para passar a segunda marcha, rumo a Santana de Mangueira. Mas é lugar bom de viver, de se acalmar, de conversar, de tirar a loucura da competição social. Quando estou cansado, vou para lá, à casa de minha sogra “Naná”, não fazer nada e ainda de quebra, faço refeições dos deuses.

A turma ainda vive uma vida quase rural, porque a “ditadura do consumo”, também chegou, mas sem muita evidência. Mas, por lá, as chuvas estão cada vez mais difíceis. Como sempre foi e como sempre será. Faltam políticas públicas para o nosso lugar.

E as pessoas ainda não sabem por que temos tantas doenças.

Mas não é disso que eu quero “falar”. Hoje eu fui à mercearia do famoso “ZÉ PEQUENO, pagar a minha conta mensal. A pé, quem anda a pé, é homem de fé. E passei na frente da residência do meu amigo, irmão, saudoso FERNÃO DIAS e da sua Amanda, também, DONA MARIA. Que partiram para a pátria espiritual e que deixaram um rastro de luz em Itaporanga.

O amor fez morada naquela casa.

Seu Fernão foi (é) um homem especial. Inteligente. Filósofo. Astrônomo e um pintor que “invejava” a obra de Van Gogh ou de qualquer artista da história da pintura "universal".

A sua arte parecia que tinha vida. A sua residência era uma galeria de arte e nas paredes expressões de sua grandeza pessoal. Tenho para mim que o nosso irmão Fernão foi um desses grandes da arte, que voltou ao planeta trazer a Itaporanga a maior de todas as artes: a arte da consciência de vida, que o Espiritismo nos passa.
Foi ele quem pintou o quadro do “Um amigo Poeta” inspirando a minha amiga Aurelúcia de Catingueira, em momento de transe mediúnico. Sem a ver retratou-a com fidelidade.

Quantas noites, depois das reuniões filosóficas e evangélicas do Centro Espírita Jesus de Nazaré, me dirigia à sua casa para ver as estrelas, por meio do seu possante telescópio. A lua, símbolo dos românticos; marte; Venus, a nossa Estrela Dalva...

Uma beleza!

Ele permanecia a maior parte do tempo na parte de cima de sua casa, que a transformou em seu quarto e observatório do céu. Ainda diviso as antenas parabólicas. Uma para o satélite brasileiro e outra para captar as emissoras da Europa, do velho mundo. Talvez para relembrar momentos de sua vida naquelas plHojeagas, pois, numa me confidenciou, mas desconfiava que fosse daquelas bandas pelos seus traços pessoais.

O melhor era as conversas em torno da vida e quando nos despedíamos, ficávamos ansiosos para que chegasse a próxima visita.

Dona Maria, a sua amada, sempre fazia aqueles belos lanches da noite, depois dos altos papos em torno da vida. Nesse que foi, que é, um espírito buscador, como nós, rumo ao aperfeiçoamento.

Até logo, seu Fernão. Deves estar com a tua amada Maria, aguardando a volta dos teus e dos teus amigos, pois morte, só a do corpo físico

E o Pai não nos criaria para o fim.

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO
1Curtir ·  · 

Coluna Social: Diamantense é parabenizado por aprovações em concursos e serra-grandense por passagem de aniversário


A 1ª Dama do Município de Serra Grande, Clarice Dantas (foto ao lado com seu esposo), recebe os parabéns dos seus pais Gilberto e Cristina Dantas pela passagem do seu aniversário neste sábado (29).

Já em Diamante, o Servidor estadual e funcionário da Energisa, José Cássio Rodrigues, está sendo parabenizado por sua esposa Hermínia Franco e família pelas aprovações que conseguiu durante concurso público para Policial Militar nos Estados de Sergipe e Piauí.

(Cássio ao lado da esposa Hermínia)

DiamanteOnline    

Prisão em flagrante no interior de clube em Itaporanga por porte ilegal

Foi no final da noite dessa sexta-feira


Por Redação da Folha – O fato ocorreu no interior do Itaporanga Esporte Clube, no final da noite dessa sexta-feira, 28, durante um evento festivo. Um popular notou que o homem estava armado e chamou a polícia.

Uma guarnição esteve no local e, depois de abordar o acusado, constatou que ele se encontrava armado com um revólver calibre 32. Jardel Alves de Sousa, de 30 anos, que é servidor publico e mora na Rua Mãe Burrego, foi preso e conduzido à delegacia, mas por falta de xadrez em Itaporanga precisou ser levado para Piancó.

O flagrante será procedido nesta manhã pelo delegado Cristiano Santana, mas o crime é afiançável e o homem poderá responder em liberdade. 

Foto: arma se encontra apreendida.

Empresa aérea demite piloto que ofendeu paraibanos


Eduardo Pfiffer disse que comentário foi infeliz e feito com raiva.

Voto de repúdio foi apresentado na Câmara Municipal de João Pessoa. 

A empresa Aérea Avianca informou que não faz mais parte dos seus quadros o piloto Eduardo Pfiffer, que fez comentário preconceituoso contra nordestinos em uma rede social na quarta-feira (26) após ter sido mal atendido em um restaurante em João Pessoa. Um voto de repúdio foi apresentado na Câmara Municipal de João Pessoa na quinta-feira (27).

Pfiffer publicou em seu perfil em uma rede social que tudo no Nordeste era "porco, nojento e medíocre". A declaração foi feita, segundo o próprio piloto, após esperar cerca de uma hora para receber o pedido que havia feito em um restaurante em João Pessoa e ainda assim receber o pedido errado. “Depois de uma hora e dez esperando um filé de peixe simples, sem nada de diferente, eles conseguem errar e fazer outra coisa completamente diferente do cardápio, que não tem opção nenhuma. Lugar nojento!”, compartilhou.

No voto de repúdio, o vereador autor do requerimento Helton Renê explica que o voto se faz necessário pela forma agressiva e preconceituosa com a qual o piloto se usou nas redes sociais para denegrir a imagem do povo nordestino e, em especial, do cidadão pessoense.


No mesmo dia em que o comentário foi compartilhado por Eduardo Pfiffer, a empresa Avianca publicou uma nota informando que qualquer ato contrário à ética é desprezado pela empresa. A empresa de aviação esclareceu ainda que “repudia veementemente o comentário atribuído a um funcionário seu, veiculado nas redes sociais, de cunho preconceituoso”.

Nesta sexta-feira (28), o piloto voltou a usar as redes sociais para se desculpar do episódio. O comandante de voo da empresa Avianca publicou que o comentário foi “infeliz, num momento de raiva e insatisfação”.

Em seu novo comentário, Eduardo Pfiffer diz que não tem nada contra as pessoas do Nordeste, lugar que, segundo ele, foi feliz com frequência. “Conheci lugares e pessoas incríveis, fiz amizades que perduram até hoje, sendo prova disso a minha namorada, que conheci em Recife”, escreveu.


Ainda segundo o piloto, o seu erro foi ter exposto toda a insatisfação de maneira errada, usando palavras e expressões incorretas. “Peço desculpas a quem se sentiu ofendido com minha publicação. Não sou e nunca tive preconceito de qualquer tipo principalmente com pessoas nordestinas, dos quais muitos são meus amigos”, completou Pfiffer.

 G1 PARAIBA

A Festa da Chuva

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO
..............................................................................................
A Festa da Chuva
(Reynollds Augusto)

A vida tem a sua trilha sonora, a natureza com seus encantos nos permite apreciar o seu espetáculo. 

Gosto da “melodia” da chuva, com seus efeitos sonoros diversos. Os trovões, no sertão poético, anunciam que a invernada está chegando e que é tempo de alegrias. É tempo de festa, de milho verde, de pamonha, de canjica. 

Até quando a “musica” é quase lenta e a balada fica calma, ainda assim, a festa anima o coração. Como hoje, em que a chuva está mansa, mas vem trazendo o “pincel de Deus”, para pintar esse sertão de um verde diferente, um verde esperança, anunciando que não mais é tempo de agruras, de calor quase insuportável.

A cidade fica calma, até parece que a água dulcifica o coração e estabiliza as expectativas. 

Nós experimentamos o fim, espero, de uma seca braba. Ainda bem que o governo federal sustenta os programas sociais para que o nosso povo sertanejo, bravio, não deixe de ter o mínimo possível, como a comida, por exemplo. Os politiqueiros de plantão dizem que isso é compra de voto, eu prefiro ver como uma ação de uma “mãe”, pois o Estado é uma “mãe”, que não deixa o seu filho passando fome. E com retorno, não é apenas dar simplesmente, a garotada tem que estar na escola. 

Quem nunca passou fome e viu a dor da panela vazia não entende isso. Estamos em tempo de campanha eleitoral e tudo é politizado. Os “salvadores” da pátria, que nunca fizeram nada pelo social, ou muito pouco, estão atentos e procuram descontextualizar as falas, ações do governo, para fazer ver á sociedade que tudo está ruim. Mas, estamos em tempo de verdadeira liberdade de imprensa. As televisões não manipulam mais as informações e o contraditório é quase que instantâneo. A verdade agora aparece.

A chuva se foi. A espero novamente mais tarde, à noite, de madrugada.

Antes o espetáculo era realizado no finzinho da tarde, com o mundo azul-cizento, trazendo o vento da felicidade e os trovões da alegria. Como disse a minha irmã Aurelucia, de Catingueira e que é intérprete de “UM AMIGO POETA”: é a balada de Deus.

Vou agora, com a minha filha mais nova, que abriu uma janelinha nos dentes visitar a nossa feira, o nosso "shopping" ao ar vivo, comprar coisas simples, mas que faz felicidade das crianças. 

Vou viver simplesmente, ver a chuva que cai, o frio que no sertão agasalha, entrar nessa calmaria, já tão calma e aproveitar os detalhes da existência.

Passamos pela vida e não prestamos a atenção nos detalhes. Somos direcionados pela “ditadura do consumo” e esquecemos-nos de viver. A senhora distinta morte chega, olhamos para trás e a sensação é horrível e vemos que passamos pela vida, e não há nada mais nada a fazer.

“Tudo isso me fez relembrar o poema de ‘UM AMIGO POETA”, O Inácio da Catingueira, das pelejas com seu amigo Romão, que hoje se expressa, desvestido da carne, por intermédio da minha amiga Lúcia:

Sertão Agradecido
(Espírito: "Um Amigo Poeta”)

Quando a chuva cai no chão,
Tinge de verde a floresta.
Alegra-se todo o sertão
Seu coração fica em festa.

O lavrador abre a janela,
Sua prece foi atendida.
Contempla a vê como é bela
Sua plantação florida.
Com a enxada no chão, assina
Planta arroz, feijão e milho
Trata cada grão que germina
Como se fosse seu filho.

O sertanejo olha pro céu
Há lágrimas nos olhos seus,
Grato retira o chapéu
E assim agradece a Deus

* Poema recebido em reunião publica do centro Espírita Jesus de Nazaré, da cidade de Catingueira.

www.pensenisso.itaporanga.net