domingo, 5 de janeiro de 2014

Governo do Rio encaminha Termo de Reparação a escritor local preso e exilado pela Ditadura

Documento é um pedido de desculpa e uma reparação moral do Estado do Rio de Janeiro a Paulo Conserva


Por Redação da Folha – Assinado pelo governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e pelo seu secretário de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira, o Termo de Reparação encaminhado ao jornalista e escritor Paulo Conserva (foto) foi um meio encontrado pelo governo para reconhecer e reparar seu erro ao ter mantido sob sua guarda, no período da Ditadura Militar, presos políticos, muitos dos quais vítimas de torturas e mortes durante as detenções.

Paulo foi um dos que ficaram presos no Rio antes de seguir para o exílio pela sua luta contra a Ditadura e pela redemocratização do Brasil. Conserva recebeu com emoção e alegria a proposta de reparação moral do governo fluminense em face dos atos oficiais contra ele no período ditatorial. A colaboração do Estado do Rio de Janeiro com o aparelho repressivo do Governo Federal produziu inúmeras injustiças e crueldades, mas o próprio Estado busca se redimir ao apresentar Termo de Reparação aos perseguidos pelo regime militar entre 1964 e 1979. O documento também simboliza um pedido de desculpa do governo a esses brasileiros heróicos.

“Receba as condolências pelas mortes de torturas psicológicas ou físicas em seu nome e de seus companheiros...”, diz trecho do documento, datado de 22 de novembro de 2013 e encaminhado a Paulo Conserva, que reside em Itaporanga e é um personagem marcante da página negra da história nacional escrita pelos generais-presidentes. Marinheiro, insubornou-se para lutar pela democracia e foi duramente perseguido. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria... Comenta, vai!